Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


26 de Mar de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Rio sedia final de competição mundial entre projetos de startups de esportes - Jornal Brasil em Folhas
Rio sedia final de competição mundial entre projetos de startups de esportes


A Fundação Getulio Vargas (FGV), em Botafogo, na zona sul do Rio, sediou hoje (24) a final do Global Tech Innovation for Sports Competition, em que ocorre a disputa entre projetos de startups (ideia inicial de negócio que pode vir a gerar lucro) de esportes com o objetivo de criar a primeira plataforma em grande escala para inovação nos esportes. Entre os projetos desenvolvidos tinham propostas de acessórios portáteis, de tecnologia de radiodifusão, de aplicativos para atletas, para treinadores e para fãs.

Nos últimos dois meses, houve competições regionais nos Estados Unidos, no Reino Unido, no Oriente Médio e na África. Na América Latina, o encontro ocorreu na semana passada em São Paulo. Depois das seleções nestas etapas, com a participação de centenas de candidatos, as melhores startups de esportes foram escolhidas como finalistas projetos da Itália, de Israel, da Grécia, do Quênia, do Reino Unido, dois dos Estados Unidos e um do Brasil.

O projeto brasileiro foi desenvolvido em Santa Catarina. O engenheiro Salvador Francisco Tirloni é um dos criadores do projeto Opifex, um sistema telemétrico para medir as forças que ocorrem embaixo de uma prancha de surf. “A nossa ideia é no final de novembro, dezembro, termos dez equipamentos dentro d’água para fazer testes com surfistas profissionais e amadores, com jornalistas do segmento e começar a criar esta parte de user experience [nível de satisfação geral dos usuários enquanto usam o produto ou sistema]”, disse.

Tirloni diz que todas as análises feitas, atualmente, em uma competição de surf são qualitativas, feitas pelos juízes que analisam os movimentos, sem a ocorrência de métrica quantitativa. Com o equipamento, é possível aferir até 29 tipos de velocidade dependendo do cenário utilizado. “Com esses dados pode ser usado, inclusive, para um prático [ profissional que conduz os navios mercantes durante a sua navegação em águas restritas nas entradas e saídas dos portos] atracar um navio de grande porte. Em uma competição de vela ele vai me dar a medida que vai fazer diferença na competição. A gente pensou no surfe, mas tem várias aplicações”, disse.

Cada projeto foi apresentado nesta noite para um juri que, em seguida, se reuniu em sala separada para escolher o vencedor do prêmio de 100 mil euros, que foi o projeto de Denver (EUA), que criou uma roupa para medir a energia de um corredor em ação e usar os dados para melhorar os treinos e o desempenho nas competições.

O diretor internacional da FGV, Bianor Scelza Cavalcanti, que participou do juri, disse que os projetos fazem uma conexão de inovação e produtividade, que atualmente são fundamentais para a economia dos países.

“Quem vai perdendo capacidade de inovar vai perdendo muito por mais desenvolvido que seja o país. A taxa de inovação é importante e este concurso lida com projetos concretos de inovações na base de startups. É uma iniciativa muito oportuna, porque a área de esportes é muito rica de possibilidades com tecnologias novas em produtos vinculados às diferentes modalidades”, disse, acrescentando que este perfil do concurso foi o que atraiu a FGV a participar como um dos apoiadores. “A fundação só se justifica inovando. É inovação de produtos, de processos de gestão das iniciativas”.

De acordo com a FGV, os selecionados serão patrocinados por grandes empresas como Google, Adidas, Ernst & Young, Nike, Accenture e Black Lab Sports.

 

Últimas Notícias

Temer deixa prédio da Polícia Federal no Rio
Jovens têm menos chance de contratação e mais de serem demitidos
Bolsa cai e dólar fecha em R$ 3,80
Araújo: dispensa de status especial na OMC nos coloca como país grande
Países sul-americanos devem sair de uma só vez da Unasul, diz ministro
Chanceler descarta emprego das Forças Armadas na Venezuela
Moçambique, Zimbábue e Malauí tentam identificar vítimas de ciclone
Nova Zelândia quer proibir, em abril, venda de armas do tipo militar

MAIS NOTICIAS

 

Copom inicia reunião nesta terça para definir taxa básica de juros
 
 
Mercado reduz projeção de crescimento da economia de 2,28% para 2,01%
 
 
Atividade econômica tem queda de 0,41% em janeiro, diz BC
 
 
Governo lança edital de estudos para concessão de 22 aeroportos
 
 
Governo do Rio anuncia rompimento da concessão do Maracanã
 
 
Conflitos e segurança poderão contar pontos na avaliação de escolas

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212