Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


25 de Mar de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Após depoimento no Senado, Dilma tem dia de reclusa no Palácio do Alvorada - Jornal Brasil em Folhas
Após depoimento no Senado, Dilma tem dia de reclusa no Palácio do Alvorada


Após enfrentar mais de 13 horas de depoimento no Senado, a presidente afastada, Dilma Rousseff, passou o dia de ontem no Palácio da Alvorada. A petista deixou o Congresso por volta de 1h e estendeu seu horário de sono, levantando-se duas horas depois do costume, por volta das 8h. Durante todo o dia, ela evitou a imprensa e acompanhou o desenrolar do processo de impeachment na companhia do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, de políticos aliados e líderes de movimentos sociais.

Apesar de se dizer confiante, o prognóstico para o resultado da votação no Senado não é positivo. Dilma almoçou ontem com Lula, com o presidente do PT, Rui Falcão, com o presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Vagner Freitas, e com representantes de movimentos sociais para avaliar seus próximos passos. Os ex-ministros Jacques Wagner, Nelson Barbosa e Aloizio Mercadante também estiveram na residência oficial da Presidência da República.

Dilma recebeu elogios pela participação no Congresso e assistiu à defesa de José Eduardo Cardozo no plenário do Senado. O ex-ministro da Justiça, que é advogado da presidente, se emocionou ao defendê-la. Apos ó fim de sua apresentação, por volta de 15h35, Cardozo recebeu um telefonema de Dilma, que agradeceu e elogiou o trabalho. “Chorou, hein?”, brincou ela. O advogado não conteve as lágrimas ao se indignar com o tratamento dispensado à petista. “No dia em que uma pessoa perde a capacidade de se indignar diante da injustiça, é porque se desumanizou. E eu não quero me desumanizar”, disse ele, no fim da ligação.

No Alvorada, Dilma também recebeu a cantora e escritora Fernanda Takai, que viajou a Brasília para demonstrar o apoio contra o impeachment. “Queria dizer pessoalmente que sou grande admiradora e sou fã dessa presidente, desta mulher”, disse Takai. “Se pudesse escolher uma segunda mãe, poderia ser a presidente Dilma”, acrescentou. Em meio a abraços e demonstrações de carinho, Dilma respondeu: “Eu sou, eu sou. E você tem a idade da minha filha”. Takai seguiu para o Senado, onde se encontrou com congressistas contrários ao afastamento da petista.

 

Últimas Notícias

Jovens têm menos chance de contratação e mais de serem demitidos
Bolsa cai e dólar fecha em R$ 3,80
Araújo: dispensa de status especial na OMC nos coloca como país grande
Países sul-americanos devem sair de uma só vez da Unasul, diz ministro
Chanceler descarta emprego das Forças Armadas na Venezuela
Moçambique, Zimbábue e Malauí tentam identificar vítimas de ciclone
Nova Zelândia quer proibir, em abril, venda de armas do tipo militar
Conselho Europeu aceita prorrogar saída do Reino Unido para maio

MAIS NOTICIAS

 

Copom inicia reunião nesta terça para definir taxa básica de juros
 
 
Mercado reduz projeção de crescimento da economia de 2,28% para 2,01%
 
 
Atividade econômica tem queda de 0,41% em janeiro, diz BC
 
 
Governo lança edital de estudos para concessão de 22 aeroportos
 
 
Governo do Rio anuncia rompimento da concessão do Maracanã
 
 
Conflitos e segurança poderão contar pontos na avaliação de escolas

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212