Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


21 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Cinema sob demanda pode colocar nas salas filmes de fora do circuito comercial - Jornal Brasil em Folhas
Cinema sob demanda pode colocar nas salas filmes de fora do circuito comercial


O cinema sob demanda, uma nova forma de fazer com que os filmes de fora do circuito comercial cheguem às salas de cinema - sem que o produtor ou realizador do filme tenha que obrigatoriamente utilizar uma distribuidora tradicional - está dando os primeiros passos no Brasil.

A startup Kinorama está começando a colocar em funcionamento no país uma plataforma que pretende facilitar a exibição nos cinemas de obras independentes, não ligadas aos grandes estúdios e distribuidoras. O sistema funciona da seguinte forma: o produtor ou realizador de um filme se cadastra no site da empresa. Escolhe uma data e horário para que seu filme seja exibido nas salas de cinema disponíveis – a Kinorama tem parceria com as salas do Espaço Itaú em seis capitais brasileiras.

A partir de então, o produtor do filme terá de divulgar a sessão para seu público, e caso consiga vender antecipadamente ao menos 60% dos lugares da sala escolhida, seu filme é colocado em cartaz. Do total arrecadado com a bilheteria, 35% fica com o exibidor, 35% com o produtor ou realizador do filme, e 30% com a Kinorama, que se responsabiliza pela logística do sistema. Caso não sejam vendidos 60% dos lugares da sala, nada é cobrado do produtor/realizador do filme.

“A gente chega para o circuito exibidor e fala: eu tenho uma sala, que já tem garantia de estar 60% cheia. Você quer a minha sala no seu cinema ou você quer arriscar uma sala que você não sabe quantas pessoas vão?”, explica Raphael Raphael Erichsen, idealizador da ferramenta.

Nos Estados Unidos, a plataforma Tugg, similar a da Kinorama, faz cerca de 400 sessões por mês. “Existe um caminho aí para criar uma cultura nova. A única possibilidade do cineasta de ver seu filme, que não vai entrar em circuito comercial, são os festivais, que são cada vez mais concorridos. Essa é uma nova janela”, diz Raphael.

O chamado para a primeira sessão do Kinorama está no ar em https://kinorama.co/. O documentário Epidemia de Cores, dirigido por Mário Eugênio Saretta, está previsto para ser exibido no dia 22 de setembro, a partir das 19h no Espaço Itaú - Augusta, em São Paulo.

 

Últimas Notícias

Brasil perdeu 7,2 milhões de linhas de celular no ano passado
Petrobras reduz em 3% GLP empresarial nas refinarias
Ministro do STJ nega pedido de prisão domiciliar a João de Deus
Escassez de chuvas leva governo a acionar termelétricas mais caras
Picciani, Paulo Melo e Albertassi serão julgados por Bretas
Suspensa permissão para deputada receber denúncias contra professores
MPT não descarta pedir bloqueio dos bens do Flamengo
Número de mortos identificados em Brumadinho chega a 151

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212