Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


23 de Sep de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Venda de imóveis novos na capital paulista cai 60,5% de junho para julho - Jornal Brasil em Folhas
Venda de imóveis novos na capital paulista cai 60,5% de junho para julho


Em julho deste ano, 828 unidades residenciais novas foram vendidas na cidade de São Paulo, o que representa uma queda de 60,5% em relação ao total comercializado em junho (2.097 unidades) e de 20,5% na comparação com julho do ano passado (1.042 unidades). Os dados são do Sindicato da Habitação (Secovi-SP), que ressaltou a influência negativa que as férias têm nas vendas e nos lançamentos na cidade.

No acumulado de janeiro a julho, foram comercializadas 8.022 unidades residenciais na capital, 25% a menos que o total vendido no mesmo período de 2015 (10,7 mil unidades).

De acordo com dados da Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio (Embraesp), a cidade de São Paulo registrou um total de 1.099 unidades residenciais novas, com lançamento em julho. O volume é 49,5% menor que o de junho (2.178 unidades) e 33,2% superior ao de julho de 2015 (825 unidades). De janeiro a julho deste ano, foram lançadas 6.830 unidades residenciais no município de São Paulo, com queda de 37,1% em relação ao mesmo período de 2015 (10.852 unidades).

Em julho, o Valor Global de Vendas (VGV) somou R$ 435,9 milhões. O montante é 55,9% inferior ao de junho (R$ 989,3 milhões comercializados) e 24% abaixo do apurado em julho de 2015 (R$ 573,6 milhões). Os valores são atualizados pelo Índice Nacional de Custo da Construção – Disponibilidade Interna (INCC-DI) de julho de 2016.

O indicador VSO (Vendas sobre Oferta), que apura a porcentagem de vendas em relação ao total de unidades ofertadas, foi de 3,3% em julho, apresentando redução de 58,2% em comparação ao VSO de 7,9% do mês de junho e próximo ao de julho de 2015 (3,7%). O VSO de 12 meses ficou em 38,2%, redução de 0,9% em relação ao de junho de 2016 (38,6%). O indicador apresentou queda de 10,4% quando comparado ao de julho de 2015, de 42,6%.

Os imóveis de dois dormitórios continuaram predominando em todos os indicadores da pesquisa de julho: 489 unidades vendidas, 587 lançadas, oferta final de 9,3 mil unidades e índice de vendas sobre oferta (VSO) de 5%. Unidades de somente um dormitório também apresentaram bom desempenho, segundo o Secovi-SP, com 222 vendas, 250 unidades lançadas, oferta final de 8.078 imóveis e VSO de 2,7%. Nas vendas, especificamente, predominaram os imóveis com menos de 45 metros quadrados (m²), com 346 unidades vendidas. Consequentemente, a faixa registrou o melhor VSO (4,5%).

Os imóveis com preços entre R$ 225 mil e R$ 500 mil lideraram, com 321 unidades comercializadas, 498 unidades lançadas, VSO de 2,6% e oferta final de 11.856 unidades – o equivalente a 48% do total de imóveis não vendidos na cidade de São Paulo.

O melhor VSO foi dos imóveis na faixa de preço abaixo de R$ 225 mil, que foi de 14,6% no mês, devido à reduzida quantidade de unidades disponíveis para venda em relação à demanda. No final de julho, havia apenas 1.229 unidades não vendidas nessa faixa de preço (5% do total ofertado).

Oferta de imóveis novos

A cidade de São Paulo encerrou julho com 24.627 unidades não vendidas disponíveis. A oferta é formada por imóveis na planta, em construção e prontos (estoques), lançados nos últimos 36 meses (de agosto de 2013 a julho de 2016), ficando praticamente estável em relação ao mês anterior (24.609).

De acordo com os analistas do Secovi-SP, o mercado continua concentrado em imóveis de valores até R$ 500 mil e a redução no volume de vendas em julho já era esperada, devido ao período de férias escolares que costuma diminuir a visita de famílias aos plantões de venda. No entanto, a expectativa do sindicato é que haja reação no segundo semestre.

“A perspectiva de adoção de medidas que estimulem o setor e, consequentemente, possam desencadear o processo de crescimento econômico, também nos leva a crer que haverá um ambiente mais favorável aos negócios e aos investimentos”, disse, em nota, o presidente do Secovi-SP, Flavio Amary. Segundo ele, a redução da taxa básica de juros (Selic) é fundamental para retomar a produção e a venda de imóveis.

 

Últimas Notícias

Varejo perde R$ 19,5 bilhões em 2017 por danos em produtos e furtos
A partir deste sábado, candidatos só podem ser presos em flagrante
Brasileiros não se sentem prontos para lidar com a morte, diz pesquisa
Aos 95 anos, Gervásio Baptista recebe Medalha do Mérito Jornalístico
PF combate grupo criminoso responsável por contrabando de cigarros
Primavera começa hoje com possibilidade de novo episódio do El Niño
Facebook anuncia medidas para combater contas falsas e desinformação
Polícia Militar faz operação na Rocinha

MAIS NOTICIAS

 

Toffoli toma posse hoje na presidência do STF
 
 
Chanceler do Paraguai visita Brasil para negociar construção de pontes
 
 
Indústria recua em oito dos 15 locais pesquisados pelo IBGE em julho
 
 
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE
 
 
México investiga caso de deputadas forçadas a renunciar
 
 
A série de ataques de 11 de Setembro completa 17 anos

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212