Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


19 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Refugiado e fenômeno do atletismo levam prêmio que exalta espírito paralímpico - Jornal Brasil em Folhas
Refugiado e fenômeno do atletismo levam prêmio que exalta espírito paralímpico


O nadador Ibrahim Al Hussein e a velocista norte-americana Tatyana McFadden receberam, durante a cerimônia de encerramento dos Jogos Paralímpicos Rio 2016, o prêmio Whang Youn Dai, conferido ao homem e à mulher que melhor representam o esporte paralímpico. Os dois receberam, das mãos do filho da mulher que batiza a honraria, uma medalha de ouro puro, com cerca de 75 gramas.

O prêmio é um símbolo das Paralimpíadas desde 1988 e está sendo conferido desde entãosempre na festa de encerramento. A médica Whang Youn Dai foi a primeira a recebê-lo, em virtude de seu trabalho com pessoas com deficiência, focado nos valores do esporte e dos direitos humanos. A sul-coreana foi diagnosticada com paralisia infantil com três anos, o que não a impediu de se formar em medicina. Ela já foi vice-presidente da Associação Desportiva para Deficientes na Coreia e do Comitê Paralímpico.

Ibrahim é um dos dois atletas refugiados que fazem parte da primeira equipe de atletas independentes da história dos Jogos Paralímpicos. O nadador, que nasceu em Deir ez-Zor, na Síria, competiu nos 50m e nos 100m livre da classe S9, sem conquistar medalhas, mas melhorando suas marcas pessoais.

Estrela

Há três anos, Ibrahim tornou-se vítima do conflito armado iniciado na Síria em 2011. A carreira de nadador foi interrompida após ele ser ferido por uma explosão, que levou à amputação de parte da perna direita. Ele se refugiou na Turquia, onde reaprendeu a andar, e também na Grécia, desembarcando depois de uma viagem a bordo de um barco inflável. Ibrahim também conduziu a tocha olímpica em seu percurso pela Grécia e foi o porta-bandeira da equipe de refugiados na abertura.

Aos 27 anos, Tatyana McFadden é uma estrela do paradesporto. Em quatro participações consecutivas nos Jogos Paralímpicos, ela acumula 16 medalhas nas corridas para cadeirantes - sete ouros, seis pratas e três bronzes, sendo quatro ouros e duas pratas conquistados no Rio de Janeiro, onde disputou todas as provas de sua categoria.

Prêmio

Em 2013, a multicampeã tornou-se a primeira pessoa, entre atletas regulares e paralímpicos, a vencer, no mesmo ano, as quatro principais maratonas do mundo (Boston, Londres, Chicago e Nova York), o que ela viria a repetir em 2014 e 2015. Também naquele ano ela foi a primeira mulher a ganhar seis ouros em uma mesma edição do Campeonato Mundial, vencendo os 100m, 200m, 400m, 800, 1500m e 5000m em Lyon, na França.

Ao todo, 21 atletas foram indicados para o prêmio Whang Youn Dai. O Comitê Paralímpico Internacional (IPC, na sigla em inglês) chegou à lista final, com seis nomes: Jose Luis Casas (Peru), Ibrahim Al Hussein (Equipe de Atletas Independentes), Ammar Ali (Iraque), Tatyana McFadden (Estados Unidos), Zulfiya Gabidullina (Cazaquistão) e a brasileira Verônica Hipolito.

Os vencedores foram escolhidos por um painel independente de juízes, formado por membros do Comitê Executivo da entidade máxima do esporte paralímpico.

 

Últimas Notícias

Submarino argentino é encontrado um ano e um dia após desaparecimento
Parlamento cubano rejeita resolução da Eurocâmara sobre direitos human
Incêndio da Califórnia registra 74 mortos e mais de mil desaparecidos
Livro mistura suspense e fantasia em reflexão sobre violência no país
EBC e Fundação Getulio Vargas firmam acordo para revitalizar acervo
Trabalho de escoramento em viaduto paulistano prossegue neste sábado
Belo Horizonte tem previsão de mais chuva; temporais já mataram quatro
Prefeito de Mariana diz que não desistirá de ação no Reino Unido

MAIS NOTICIAS

 

Morre em Pelotas o criador da camisa canarinho, Aldyr Schlee
 
 
Brasil concentrou 40% dos feminicídios da América Latina em 2017
 
 
Jungmann e Toffoli anunciam sistema para unificar processos de presos
 
 
Pensamento liberal deve guiar a equipe econômica de Bolsonaro
 
 
Gold3-4 minutosfajn permanecerá à frente do BC até Senado aprovar Campos Neto
 
 
Senado argentino aprova orçamento de 2019 como prometeu ao FMI

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212