Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


20 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Censo vai avaliar prevenção da violência nos municípios do Rio - Jornal Brasil em Folhas
Censo vai avaliar prevenção da violência nos municípios do Rio


A Secretaria de Estado da Segurança do Rio de Janeiro lançou esta semana o 1° Censo sobre Ações Municipais de Prevenção às Violências do Rio de Janeiro. A iniciativa é inspirada no censo elaborado pela Faculdade de Direito de Santa Maria (RS), em 2012, sobre a municipalização da Segurança Pública no Rio Grande do Sul e tem como objetivo conhecer as políticas públicas nos municípios para aprimorar as parcerias federativas entre o estado e as cidades fluminenses.

A primeira etapa do trabalho consiste no envio de um formulário eletrônico aos gestores municipais de segurança ou áreas afins para saber quais são as políticas públicas municipais nas 92 cidades do Rio de Janeiro. Outro ponto levantado será a dinâmica de integração entre as agências municipais, estaduais e federais de segurança, de perfil e do escopo de atuação das Guardas Municipais, quando existentes, entre outros. As prefeituras terão dois meses para preencher o formulário. No primeiro trimestre de 2017, um seminário vai discutir os resultados do censo.

O subsecretário de Educação, Valorização e Prevenção da Secretaria de Segurança do Rio, Pehkx Jones, disse que a participação dos municípios é fundamental para uma política eficaz de segurança pública. “Nossa expectativa é que prefeituras possam aderir a essa pesquisa, que tem por objetivo entender melhor o que cada um está fazendo na sua respectiva área, no seu território, em termos de políticas públicas que permitam identificarmos as que podem contribuir para a prevenção da violência e promoção de direitos”, disse.

“Quando eles promovem políticas públicas para as minorias, as mulheres, para o idoso, para o jovem, são políticas que impactam positivamente e diminuam a sensação de insegurança. Queremos saber se estão desenvolvendo políticas para esses públicos e como podem interagir com as de segurança pública”, acrescentou Jones.

Guarda Municipal

Outro ponto levantado pelo subsecretário é a presença das Guardas Municipais nos mais de 80 municípios do estado. “Queremos entender o que as guardas estão fazendo, que atividades desenvolvem, como interagem com as polícias Civil e Militar. Assim podemos ter um resultado final e apresentá-lo para os prefeitos que assumirem em 2017.”

A implementação de políticas voltadas diretamente para a segurança pública costuma ser de responsabilidade dos governos estadual e federal, por meio das polícias Federal, Militar e Civil. Ao município cabe atuar com atividades preventivas, capazes de melhorar a segurança pública, como boa iluminação pública da cidade, ações da Guarda Municipal, políticas de enfrentamento às desigualdades sociais, à violência doméstica, entre outras.

 

Últimas Notícias

Brasil perdeu 7,2 milhões de linhas de celular no ano passado
Petrobras reduz em 3% GLP empresarial nas refinarias
Ministro do STJ nega pedido de prisão domiciliar a João de Deus
Escassez de chuvas leva governo a acionar termelétricas mais caras
Picciani, Paulo Melo e Albertassi serão julgados por Bretas
Suspensa permissão para deputada receber denúncias contra professores
MPT não descarta pedir bloqueio dos bens do Flamengo
Número de mortos identificados em Brumadinho chega a 151

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212