Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


15 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Diretor do BC destaca preparo da instituição para ajustes em economias avançadas - Jornal Brasil em Folhas
Diretor do BC destaca preparo da instituição para ajustes em economias avançadas


O diretor de Política Monetária do Banco Central (BC), Reinaldo Le Grazie, disse hoje (20) que, em meio às incertezas econômicas globais, a instituição brasileira está preparada para o processo de normalização da política monetária das economias avançadas. O mercado aguarda uma sinalização das autoridades japonesas e norte-americanas sobre mudanças nesses países que possam impactar no setor financeiro internacional.

Em linha com o que têm dito integrantes da equipe econômica, Le Grazie afirmou que, para haver retorno do ambiente [interno] de estabilidade, confiança e crescimento, é preciso resgatar os pilares do tripé macroeconômico e aplicá-los de forma plena. “Ou seja, nutrir a responsabilidade fiscal, manter controle da inflação e regime de câmbio flutuante”, explicou.

Reinaldo Le Grazie lembrou que o controle da inflação é alcançado pelo emprego do sistema de metas, cabendo ao Conselho Monetário Nacional estabelecê-las e ao Banco Central, de forma determinada, cumprí-las. Segundo Le Grazie, quanto mais tempo a inflação permanecer em torno da meta, maior será a contribuição do BC para que a correção de preços deixe de ser uma preocupação recorrente na tomada de decisão dos agentes econômicos.

Sobre o câmbio flutuante, o diretor do Banco Central enfatizou que, sem prejudicar o regime, a autoridade monetária tem usado, sempre com a necessária parcimônia, as ferramentas cambiais de que dispõe. “Intervenções pontuais, consistentes,relativamente previsíveis, que suavizam movimentos e sirvam para corrigir distorções, são práticas saudáveis, desde que não alterem a trajetória de longo prazo da moeda , que é, em última instância, definida por um conjunto de fatores locais e externos”, disse.

Por fim, afirmou Le Grazie, a responsabilidade fiscal contribui para a manutenção de uma inflação baixa e para a queda sustentável dos juros reais ao longo do tempo, fatores importantes para o desenvolvimento do financiamento de longo prazo no Brasil. “A eficiência da política monetária do Banco Central será tanto maior quanto mais bem-sucedidos forem os esforços para a implantação de reformas e ajustes que fortaleçam o pilar da responsabilidade fiscal”, afirmou.

 

Últimas Notícias

Governadores pedem ao STF julgamento de processos sobre repasses
Ministro quer atrair investimentos privados para Jardim Botânico do RJ
Fies vai oferecer 100 mil vagas a juro zero para alunos de baixa renda
TJ libera R$ 13 milhões para Vale ressarcir gastos do governo mineiro
Vale pede mais tempo para analisar Termo de Ajuste Preliminar
Deputados do Rio presos podem ter posses suspensas
Vale suspende operação em barragem em Brucutu e de mina em Brumadinho
TRE-RJ mantém ex-deputado Paulo Melo inelegível até 2024

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212