Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


23 de Sep de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Israel critica declarações do presidente filipino sobre Hitler - Jornal Brasil em Folhas
Israel critica declarações do presidente filipino sobre Hitler


Israel criticou neste sábado as declarações do presidente filipino, Rodrigo Duterte, que na sexta-feira fez uma comparação entre sua violenta guerra contra a criminalidade e o extermínio dos judeus por Adolf Hitler, afirmando que ficaria feliz de massacrar milhões de viciados.

É uma declaração infeliz e estamos convencidos que o presidente filipino encontrará a forma de esclarecer suas declarações, afirma em um comunicado o ministério das Relações Exteriores de Israel.

Neste sábado, o presidente filipino se recusou a voltar atrás na declaração.

Não buscamos minimizar a morte de seis milhões de judeus durante o holocausto, afirma em um comunicado o porta-voz do presidente, Ernesto Abella.

Duterte fez referência a sua vontade de matar três milhões de traficantes de drogas para preservar o futuro da próxima geração e o país, completou.

Israel e Filipinas têm relações diplomáticas, com a presença de embaixadores desde os anos 1960. O governo filipino foi o único asiático a votar em 1947 a resolução da ONU sobre a partilha da Palestina que previa, entre outros pontos, a criação do Estado de Israel.

Duterte, conhecido por sua franqueza, muitas vezes ofensiva, chamou de hipócritas a União Europeia e os Estados Unidos, que criticaram sua violenta campanha contra o tráfico de drogas.

Hitler massacrou três milhões de judeus. Pois há três milhões de drogados nas Filipinas. Ficarei feliz em massacrá-los, declarou em um discurso na sexta-feira.

Na realidade os nazistas mataram seis milhões de judeus.

O paralelismo entre Hitler e o extermínio de judeus e a campanha de combate ao crime nas Filipinas provocou reações de indignação, em particular nos Estados Unidos e na Alemanha.

O presidente do Congresso Judaico Mundial, Ronald Lauder, chamou de indignas as declarações de Duterte e exigiu um pedido de desculpas.

Desde que Duterte tomou posse em 30 de junho, mais de 3.300 pessoas morreram, em sua grande maioria por civis estimulados pela retórica incendiária do presidente, que defende que se faça justiça com as próprias mãos.

 

Últimas Notícias

Varejo perde R$ 19,5 bilhões em 2017 por danos em produtos e furtos
A partir deste sábado, candidatos só podem ser presos em flagrante
Brasileiros não se sentem prontos para lidar com a morte, diz pesquisa
Aos 95 anos, Gervásio Baptista recebe Medalha do Mérito Jornalístico
PF combate grupo criminoso responsável por contrabando de cigarros
Primavera começa hoje com possibilidade de novo episódio do El Niño
Facebook anuncia medidas para combater contas falsas e desinformação
Polícia Militar faz operação na Rocinha

MAIS NOTICIAS

 

Toffoli toma posse hoje na presidência do STF
 
 
Chanceler do Paraguai visita Brasil para negociar construção de pontes
 
 
Indústria recua em oito dos 15 locais pesquisados pelo IBGE em julho
 
 
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE
 
 
México investiga caso de deputadas forçadas a renunciar
 
 
A série de ataques de 11 de Setembro completa 17 anos

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212