Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


15 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Presidente filipino se compara a Hitler em sua luta contra as drogas - Jornal Brasil em Folhas
Presidente filipino se compara a Hitler em sua luta contra as drogas


O presidente filipino, Rodrigo Duterte, fez nesta sexta-feira uma comparação entre sua sangrenta guerra contra a criminalidade e o tráfico de drogas e o extermínio dos judeus cometido por Adolf Hitler, assinalando estar feliz por massacrar milhões de drogados.

Duterte, de 71 anos, conhecido por suas declarações controvertidas, também classificou os Estados Unidos e a União Europeia de hipócritas por criticarem sua campanha contra o tráfico de drogas.

Hitler massacrou três milhões de judeus. Pois há três milhões de drogados nas Filipinas. Ficarei feliz em massacrá-los, declarou em um discurso.

Mas gostaria que minhas vítimas fossem [sic] todas criminosas para acabar com o problema de meu país e salvar a próxima geração da perdição, disse ainda.

O novo presidente filipino, que chegou ao poder em maio, prometeu matar milhares de criminosos com o objetivo de eliminar o tráfico de drogas em seis meses.

Desde sua posse, em 30 de junho, mais de 3.300 pessoas morreram, a maioria assassinadas por civis que aprovam a cruel retórica do presidente, que os incentiva a fazer justiça pelas próprias mãos.

Inúmeras organizações de defesa dos direitos humanos e governos ocidentais criticam duramente esta política.

Sua comparação com Hitler nesta sexta já desatou novas condenações.

Estas declarações são repulsivas e o presidente Duterte tem de se retratar e pedir desculpas, afirmou o presidente do Congresso Judeu Mundial, Ronald Lauder, em um comunicado.

O presidente filipino ainda criticou nesta sexta a União Europeia e os Estados Unidos por sua falta de atuação na crise migratória.

Vocês, Estados Unidos e União Europeia, podem me chamar do que quiser, mas nunca fui hipócrita como vocês, afirmou.

Os migrantes fogem do Oriente Médio. Vocês os deixam apodrecer, e se preocupam com a morte de 1.000, 2.000, 3.000 pessoas?, questionou.

 

Últimas Notícias

Presidente Díaz-Canel defende trabalho de médicos cubanos no Brasil
Ministério vai lançar edital para repor vagas de médicos cubanos
CFM afirma que há médicos suficientes para atender Brasil
Associação lança projeto para conscientizar população sobre diabetes 2
Transposição do S. Francisco está na pauta de prioridades da transição
Temer inaugura primeira etapa do acelerador de elétrons Sirius
Temer diz que decidirá “lá na frente” reajuste de ministros do STF
Só um governador do Nordeste participa de encontro em Brasília

MAIS NOTICIAS

 

Volume de vendas do varejo cai 1,3% em setembro
 
 
Gilmar Mendes suspende decisão que obriga bancos a ressarcir clientes
 
 
Prefeitos e secretários pedem para manter cubanos no Mais Médicos
 
 
Em depoimento, Lula nega que é dono de sítio em Atibaia
 
 
Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 33 milhões no próximo sorteio
 
 
Enem: estudantes fazem hoje prova de matemática e ciências da natureza

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212