Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


19 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Sete meteorologistas pedem que sejam triplicados esforços contra mudança climática - Jornal Brasil em Folhas
Sete meteorologistas pedem que sejam triplicados esforços contra mudança climática


O aumento da temperatura da Terra acelera e é necessário duplicar, inclusive triplicas os esforços para limitar as emissões de gás de efeito estufa, advertiram nesta quinta-feita sete importantes climatologistas.

A partir de 2050, a temperatura média no planeta poderá subir dois graus Celsius em relação à era pré-industrial.

O objetivo atual dos líderes mundiais é evitar ir mais além desse limite para não sofrer os piores efeitos da mudança climática, como o aumento dos oceanos e uma maior frequência de eventos meteorológicos extremos.

Os cientistas fazem sua advertência em um comunicado de sete páginas titulado: A verdade sobre a mudança climática.

A mudança climática ocorre agora e mais rápido do que o previsto, insistiu Robert Watson, ex-presidente do Grupo de Especialistas Intergovernamental sobre a Mudança Climática e agora porta-voz dos sete cientistas, procedentes de distintos países.

O planeta está a ponto de bater seu terceiro recorde consecutivo de calor desde que são medidas as temperaturas, em 1880.

Sem esforços adicionais dos principais emissores de gás de efeito estufa, o aumento da temperatura a marca de 2º C poderá ser alcançada inclusive antes, declarou.

À margem da conferência de Paris, alguns climatologistas inclusive falaram da meta mais ambiciosa de limitar o aumento da temperatura a 1,5º C.

Mas, em 2015, a temperatura média no globo já estava acima daquela da era pré-industrial, segundo a Organização Meteorológica Internacional.

Isso representa um aumento expressivo em apenas três anos: o aumento em 2012 era apenas de 0,85º C acima do período pré-industrial.

O número de fenômenos climáticos extremos ligados ao aquecimento como as secas, os incêndios, as inundações e os furacões se duplicaram desde 1990, revelaram estes especialistas.

 

Últimas Notícias

Submarino argentino é encontrado um ano e um dia após desaparecimento
Parlamento cubano rejeita resolução da Eurocâmara sobre direitos human
Incêndio da Califórnia registra 74 mortos e mais de mil desaparecidos
Livro mistura suspense e fantasia em reflexão sobre violência no país
EBC e Fundação Getulio Vargas firmam acordo para revitalizar acervo
Trabalho de escoramento em viaduto paulistano prossegue neste sábado
Belo Horizonte tem previsão de mais chuva; temporais já mataram quatro
Prefeito de Mariana diz que não desistirá de ação no Reino Unido

MAIS NOTICIAS

 

Morre em Pelotas o criador da camisa canarinho, Aldyr Schlee
 
 
Brasil concentrou 40% dos feminicídios da América Latina em 2017
 
 
Jungmann e Toffoli anunciam sistema para unificar processos de presos
 
 
Pensamento liberal deve guiar a equipe econômica de Bolsonaro
 
 
Gold3-4 minutosfajn permanecerá à frente do BC até Senado aprovar Campos Neto
 
 
Senado argentino aprova orçamento de 2019 como prometeu ao FMI

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212