Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


19 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Policiais são presos por receber propina do tráfico de drogas no Rio - Jornal Brasil em Folhas
Policiais são presos por receber propina do tráfico de drogas no Rio


Três policiais militares lotados no 20° Batalhão da Polícia Militar, em Mesquita, na Baixada Fluminense, e um policial civil foram presos hoje (7), na Operação Boi da Cara Preta, acusados de integrar um grupo que levava dinheiro do tráfico de drogas para deixar de combater o crime na região da Posse, em Nova Iguaçu, Baixada Fluminense. Ainda há um policial militar foragido.

A ação foi desencadeada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e pela 58ª Delegacia Policial, no bairro da Posse, em Nova Iguaçu. Todos estão com a prisão preventiva decretada pelo juízo da 2ª Vara Criminal de Nova Iguaçu. A Justiça também decretou a prisão preventiva de mais 19 pessoas ligadas ao tráfico de drogas nas comunidades Aymoré, Inferninho e Três Campos.

Para comprovar a participação dos acusados, a polícia utilizou interceptações telefônicas autorizadas pela Justiça. De acordo com o promotor de Justiça, Fabio Correia, do Gaeco, os acusados foram denunciados por “associação criminosa e corrupção passiva, com pena que pode chegar a 220 anos de prisão”, informou.

A corregedora da Polícia Civil, delegada Adriana Mendes, disse que o policial civil vai ser submetido a uma sindicância administrativa e como ainda está em estágio probatório pode ser expulso da instituição. “Precisamos retirar da corporação aqueles que não merecem permanecer nos quadros da Polícia Civil”, disse.

Propina

A denúncia do Ministério Público aponta que os traficantes faziam um pagamento mensal aos PMs, às sextas-feiras, sábados e domingos. Já o policial civil recebia a propina às terças-feiras. Ele era lotado na delegacia de Comendador Soares, na Baixada Fluminense.

A entrega da propina era feita aos policiais militares em postos de gasolina ou dentro dos próprios Destacamentos de Polícia Ostensiva (DPO), onde dividiam o dinheiro. Os valores – de acordo com os promotores – chegavam a R$ 70 mil.

Crianças no tráfico

O Ministério Público, por meio da Promotoria de Justiça da Infância e Juventude de Nova Iguaçu, encaminhou à Justiça uma representação socioeducativa contra dez crianças e adolescentes que faziam contato com os policiais para o pagamento da propina. A Justiça deferiu a apreensão dos jovens e a decretou a internação provisória.

 

Últimas Notícias

Submarino argentino é encontrado um ano e um dia após desaparecimento
Parlamento cubano rejeita resolução da Eurocâmara sobre direitos human
Incêndio da Califórnia registra 74 mortos e mais de mil desaparecidos
Livro mistura suspense e fantasia em reflexão sobre violência no país
EBC e Fundação Getulio Vargas firmam acordo para revitalizar acervo
Trabalho de escoramento em viaduto paulistano prossegue neste sábado
Belo Horizonte tem previsão de mais chuva; temporais já mataram quatro
Prefeito de Mariana diz que não desistirá de ação no Reino Unido

MAIS NOTICIAS

 

Morre em Pelotas o criador da camisa canarinho, Aldyr Schlee
 
 
Brasil concentrou 40% dos feminicídios da América Latina em 2017
 
 
Jungmann e Toffoli anunciam sistema para unificar processos de presos
 
 
Pensamento liberal deve guiar a equipe econômica de Bolsonaro
 
 
Gold3-4 minutosfajn permanecerá à frente do BC até Senado aprovar Campos Neto
 
 
Senado argentino aprova orçamento de 2019 como prometeu ao FMI

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212