Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


15 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Queimadas em Teresina deixam pelo menos quatro famílias desabrigadas - Jornal Brasil em Folhas
Queimadas em Teresina deixam pelo menos quatro famílias desabrigadas


A região metropolitana de Teresina está coberta de fumaça desde a última quarta-feira (12), quando incêndios começaram a se alastrar pela cidade por causa da baixa umidade relativa do ar, que chegou a 13%. Pelo menos quatro famílias ficaram desabrigadas, segundo balanço parcial da Defesa Civil do estado.

Ontem (13), o órgão registrou 20 focos de incêndio, principalmente na zona leste da capital piauiense. Os municípios de União e José de Freitas, que ficam a cerca de 70 quilômetros (km) e 80 km da capital, respectivamente, também foram atingidos. O fogo foi controlado pelo Exército e Corpo de Bombeiros, que agora estão fazendo o levantamento de quantas casas foram atingidas e quais as necessidades das vítimas.

“A umidade está extremamente baixa, o sol forte, qualquer faísca pode gerar uma queimada. A princípio, a origem de todo esse fogo está na queimada de lixo”, disse o diretor da Defesa Civil do Piauí, Vitorino Tavares.

Segundo a prefeitura de Teresina, as famílias atingidas irão receber cestas básicas, colchões, kits de higiene pessoal e limpeza, em ações emergenciais. Depois, o foco será recuperar as moradias dessas pessoas.

Saúde

Os efeitos da fumaça também afetam a saúde da população e provoca sintomas como ardência e ressecamento dos olhos, boca e nariz, além do agravamento de doenças respiratórias, pela facilitação da entrada de vírus e bactérias. As principais vítimas são as crianças e os idosos.

Mesmo com o fogo controlado, a cidade continua encoberta por uma forte nuvem fumaça. “Até parece uma neblina, a visão do horizonte está totalmente limitada. Todo mundo está com olhos vermelhos, garganta inflamada. Minha filha, de 1 ano, não conseguiu dormir a noite toda de ontem para hoje porque não consegue respirar pelo nariz. Tentei levá-la ao pediatra, mas estão todos lotados com casos iguais”, relatou o jornalista Lívio Galeno.

Segundo Tavares, da Defesa Civil, a situação é mais grave do que em anos anteriores. “Passamos por anos muito secos, então não tinha mata para ser queimada. Esse ano choveu mais que o normal em janeiro, então a mata, agora seca por causa da baixa umidade, virou combustível para os incêndios que estão acontecendo”, explicou.

 

Últimas Notícias

Presidente Díaz-Canel defende trabalho de médicos cubanos no Brasil
Ministério vai lançar edital para repor vagas de médicos cubanos
CFM afirma que há médicos suficientes para atender Brasil
Associação lança projeto para conscientizar população sobre diabetes 2
Transposição do S. Francisco está na pauta de prioridades da transição
Temer inaugura primeira etapa do acelerador de elétrons Sirius
Temer diz que decidirá “lá na frente” reajuste de ministros do STF
Só um governador do Nordeste participa de encontro em Brasília

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212