Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


19 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Turquia e Iraque chegam em princípio a acordo sobre Mosul, dizem EUA - Jornal Brasil em Folhas
Turquia e Iraque chegam em princípio a acordo sobre Mosul, dizem EUA


A África do Sul anunciou nesta sexta-feira sua saída da Corte Penal Internacional (CPI) em uma carta enviada à ONU, após a polêmica provocada no ano passado por se negar a prender o presidente sudanês Omar al Bashir.

Pretória anunciou por escrito ao secretário-geral da ONU sua retirada da CPI, declarou o ministro da Justiça sul-africana, Michael Masutha, em coletiva de imprensa.

Este tribunal inibe a capacidade da África do Sul de honrar suas obrigações em questão de respeito da imunidade diplomática, acrescentou.

As autoridades sul-africanas seguem, assim, ao pé da letra o processo estabelecido no Tratado de Roma, fundador da CPI, primeiro tribunal internacional a julgar os supostos autores de genocídios, crimes contra a humanidade e de guerra.

A retirada será efetiva em um ano, a partir da data em que o secretário-geral da ONU receba esta carta, destacou o governo de Pretória.

Segundo a carta, divulgada nesta sexta-feira pela televisão pública SABC da África do Sul considera que suas obrigações com relação a uma resolução pacífica dos conflitos são às vezes incompatíveis com a interpretação da Corte Penal Internacional.

A decisão ocorre depois da polêmica registrada no ano passado, quando a África do Sul permitiu que o presidente sudanês, Omar al Bashir, viajasse ao país para permitir em uma cúpula da União Africana, apesar da ordem de prisão da CPI que pesa contra ele.

A África do Sul alegou que o dirigente tinha imunidade como chefe de Estado.

A CPI acusa o presidente sudanês de crimes de guerra, crimes contra a humanidade e genocídio no conflito da região de Darfur.

É precisamente este caso que justificou a decisão de Pretória de abandonar o tribunal internacional.

A aplicação do Estatuto de Roma entra em conflito e em contradição com a lei sobre a imunidade diplomática sul-africana de 2001, explicou na sexta-feira o ministro da Justiça.

 

Últimas Notícias

Brasil perdeu 7,2 milhões de linhas de celular no ano passado
Petrobras reduz em 3% GLP empresarial nas refinarias
Ministro do STJ nega pedido de prisão domiciliar a João de Deus
Escassez de chuvas leva governo a acionar termelétricas mais caras
Picciani, Paulo Melo e Albertassi serão julgados por Bretas
Suspensa permissão para deputada receber denúncias contra professores
MPT não descarta pedir bloqueio dos bens do Flamengo
Número de mortos identificados em Brumadinho chega a 151

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212