Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


15 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Pedra de jade de 174 toneladas descoberta em Mianmar não pode ser extraída - Jornal Brasil em Folhas
Pedra de jade de 174 toneladas descoberta em Mianmar não pode ser extraída


Uma pedra de jade de 174 toneladas avaliada em milhões de dólares deverá permanecer por enquanto no lugar onde foi descoberta, em Mianmar, porque seus proprietários não dispõem do equipamento necessário para extraí-la.

A pedra, de quase seis metros de comprimento, foi descoberta na semana passada por mineiros, enterrada a cerca de 60 metros de profundidade no interior de uma montanha no estado de Kachin, uma região do norte de Mianmar rica em jade.

Quando raspamos o canto da pedra vimos que era de muito boa qualidade, declarou o deputado local Tint Soe. Mas a pedra não pode ser movida neste momento porque não há aqui uma máquina que possa fazê-lo e tampouco há uma estrada apropriada, acrescentou.

Apesar de que alguns chegaram a estimar o preço da pedra em mais de 170 milhões de dólares, Tint Soe considera que o valor é de aproximadamente 5,4 milhões.

Mianmar produz a maioria das pedras de jade de boa qualidade do mundo. Trata-se de uma pedra semi-preciosa de cor verde, que é muito apreciada na China, onde é conhecida como a pedra do paraíso.

Empresas vinculadas à antiga junta militar do país dominam o comércio de jade em Mianmar.

Em 2014, o país vendeu no mercado mundial cerca de 31 bilhões de dólares em jade, segundo a ONG Global Witness, o equivalente a quase a metade do PIB do país, um dos mais pobres do sudeste asiático.

Milhares de trabalhadores birmanos pobres se trasladam ao norte do país para procurar pedaços de jade esquecidos pelas escavadoras das grandes companhias, uma atividade não regulada sobre a qual as autoridades e empresas fazem vista grossa.

Nesse contexto, a mineração de jade pode ter um custo humano alto devido aos frequentes deslizamentos de terra, como o que deixo uma centena de mortos em novembro de 2015.

 

Últimas Notícias

Presidente Díaz-Canel defende trabalho de médicos cubanos no Brasil
Ministério vai lançar edital para repor vagas de médicos cubanos
CFM afirma que há médicos suficientes para atender Brasil
Associação lança projeto para conscientizar população sobre diabetes 2
Transposição do S. Francisco está na pauta de prioridades da transição
Temer inaugura primeira etapa do acelerador de elétrons Sirius
Temer diz que decidirá “lá na frente” reajuste de ministros do STF
Só um governador do Nordeste participa de encontro em Brasília

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212