Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


25 de Mar de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Dólar aproxima-se de R$ 3,13 após Banco Central cortar juros - Jornal Brasil em Folhas
Dólar aproxima-se de R$ 3,13 após Banco Central cortar juros


Um dia após o Banco Central cortar os juros básicos da economia pela primeira vez em quatro anos, a moeda norte-americana voltou a cair e fechou no menor valor em mais de dois meses. O dólar comercial fechou esta quinta-feira (20) vendido a R$ 3,139, com queda de R$ 0,03 (-0,95%). A cotação está no menor nível de fechamento desde 10 de agosto (R$ 3,132).

O dólar operou em baixa durante toda a sessão, mas intensificou o ritmo de queda depois das 15h. Na mínima do dia, por volta das 16h50, chegou a ser vendido por R$ 3,136. A divisa acumula queda de 3,47% em outubro e de 20,49% no ano.

Como nas últimas sessões, o Banco Central vendeu hoje US$ 250 milhões em contratos de swap cambial reverso, que equivalem à compra de dólares no mercado futuro. A atuação, no entanto, foi insuficiente para conter a queda da divisa.

A cotação do dólar tem caído nos últimos dias com a proximidade do fim do prazo da regularização de ativos no exterior, também conhecida como repatriação. Até o dia 31, os brasileiros que mantêm legalmente bens e direitos no exterior podem declarar o patrimônio à Receita Federal pagando 15% de Imposto de Renda e 15% de multa, em troca da anistia de crime de evasão de divisas. A medida está provocando a entrada de recursos no país, pressionando para baixo a cotação do dólar.

Copom

O dólar também caiu depois da decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central de reduzir a taxa Selic (juros básicos da economia) pela primeira vez em quatro anos. Tradicionalmente, a queda dos juros diminui a entrada de capitais externos, mas o fato de o Brasil continuar a ter as maiores taxas de juros reais do mundo, ao descontar a inflação dos juros, impulsiona o ingresso de investimentos estrangeiros no país.

No mercado de ações, o dia também foi de ganhos. Depois de uma leve queda ontem (19), o índice Ibovespa, da Bolsa de Valores de São Paulo, fechou em alta de 0,53%, aos 63.838 pontos. O indicador está no maior nível desde abril de 2012.

 

Últimas Notícias

Jovens têm menos chance de contratação e mais de serem demitidos
Bolsa cai e dólar fecha em R$ 3,80
Araújo: dispensa de status especial na OMC nos coloca como país grande
Países sul-americanos devem sair de uma só vez da Unasul, diz ministro
Chanceler descarta emprego das Forças Armadas na Venezuela
Moçambique, Zimbábue e Malauí tentam identificar vítimas de ciclone
Nova Zelândia quer proibir, em abril, venda de armas do tipo militar
Conselho Europeu aceita prorrogar saída do Reino Unido para maio

MAIS NOTICIAS

 

Copom inicia reunião nesta terça para definir taxa básica de juros
 
 
Mercado reduz projeção de crescimento da economia de 2,28% para 2,01%
 
 
Atividade econômica tem queda de 0,41% em janeiro, diz BC
 
 
Governo lança edital de estudos para concessão de 22 aeroportos
 
 
Governo do Rio anuncia rompimento da concessão do Maracanã
 
 
Conflitos e segurança poderão contar pontos na avaliação de escolas

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212