Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


19 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Mango diz que não autorizou fornecedor que empregava refugiados sírios - Jornal Brasil em Folhas
Mango diz que não autorizou fornecedor que empregava refugiados sírios


A firma de moda espanhola Mango garantiu nesta segunda-feira que não autorizou os serviços da lavanderia turca Goreteks Tekstill, que, segundo uma reportagem da BBC britânica, empregava refugiados sírios em situação irregular.

A reportagem que será transmitida hoje revela que várias empresas de moda britânicas como Marks & Spencer e Asos e espanholas, como Mango e Zara, contam na Turquia com fornecedores que empregam refugiados sírios, em alguns casos menores, sem as permissões trabalhistas pertinentes.

No caso da Zara e Mango, os repórteres da equipe investigadora do programa Panorama evidenciaram que a lavanderia Goreteks, onde eram tingidos os jeans de ambas marcas, empregava refugiados sírios com turnos de 12 horas e sem a proteção pessoal adequada.

Em comunicado, a Mango garantiu hoje que esta lavanderia não recebeu nenhuma encomenda no mês de agosto de 2016 (quando a BBC foi gravar), não é um fornecedor da Mango e inclusive não consta como fornecedor de nenhuma companhia provedora da Mango.

Os produtos de Mango achados nas instalações especificadas são uma exceção, sustenta a empresa em sua not.

A Mango tomará as medidas apropriadas depois que esclarecer de maneira definitiva a incidência, acrescenta o comunicado.

A empresa explicou, além disso, que, após receber a notificação da BBC, encarregou uma auditoria urgente e sem prévio aviso à instalação para verificar os fatos.

Os inspetores comprovaram que trata-se uma fábrica de lavagem de jeans que cumpria com os requisitos, exceto algumas ressalvas no equipamento de proteção do pessoal, mas em nenhum caso foi detectada mão de obra infantil e nem trabalhadores de nacionalidade síria, afirma.

A Mango está totalmente comprometida com o mais estrito cumprimento da legislação social e é por isso que tem uma grande equipe dedicada a este propósito desde 2002, que monitora seus fornecedores para evitar qualquer descumprimento de seu código de conduta social, laboral e ambiental, acrescenta a companhia.

Para zelar pelo cumprimento destes requisitos, a firma espanhola estabeleceu um sistema periódico e sem prévio aviso de auditorias a cargo de auditores externos independentes, que estão destinados a assegurar que os direitos dos trabalhadores das provedores diretamente contratados por Mango são respeitados, e que as condições de trabalho são as adequadas tanto em suas instalações como nas de seus fornecedores.

 

Últimas Notícias

Brasil perdeu 7,2 milhões de linhas de celular no ano passado
Petrobras reduz em 3% GLP empresarial nas refinarias
Ministro do STJ nega pedido de prisão domiciliar a João de Deus
Escassez de chuvas leva governo a acionar termelétricas mais caras
Picciani, Paulo Melo e Albertassi serão julgados por Bretas
Suspensa permissão para deputada receber denúncias contra professores
MPT não descarta pedir bloqueio dos bens do Flamengo
Número de mortos identificados em Brumadinho chega a 151

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212