Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


26 de Mar de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Sírios são vítimas de trabalho em regime de escravidão na Turquia, diz BBC - Jornal Brasil em Folhas
Sírios são vítimas de trabalho em regime de escravidão na Turquia, diz BBC


Uma investigação secreta da BBC, grupo de comunicação britânico, encontrou adolescentes e adultos sírios refugiados trabalhando ilegalmente em regime de escravidão na Turquia na confecção de roupas das marcas Marks & Spencer (M&S), Asos, Zara e Mango. Os resultados da investigação foram mostrados no programa Panorama, da BBC. Segundo a reportagem, a maioria dos refugiados não têm autorização de trabalho.

Todas as marcas citadas na reportagem dizem que acompanham atentamente suas cadeias de produção e que não toleram a exploração de refugiados ou adolescentes. A britânica M&S afirmou que suas inspeções não encontraram um único refugiado sírio trabalhando na Turquia. No entanto, a investigação da BBC encontrou sete sírios em uma das principais fábricas da marca.

Foram encontrados refugiados que ganham pouco mais do que uma libra por hora (cerca de R$ 3,80), valor bem abaixo do salário-mínimo turco. Um dos refugiados afirmou em entrevista que sofre maus tratos na fábrica. Se alguma coisa acontecer a um sírio, eles vão jogá-lo fora como se fosse um pedaço de pano, disse. O trabalhador mais jovem encontrado pelo programa de televisão tinha 15 anos e estava trabalhando mais de 12 horas por dia.

Um porta-voz da Marks & Spencer disse que as denúncias do programa são extremamente graves e inaceitáveis. Comércio ético é fundamental para a M&S. Todos os nossos fornecedores estão contratualmente obrigados a cumprir os nossos princípios globais. Nós não vamos tolerar tais violações destes princípios e faremos tudo o que pudermos para garantir que isso não aconteça novamente, afirmou.

Danielle McMullan, representante da ONG Business & Human Rights Resource Centre, que atua na defesa dos direitos humanos em empresas, diz que as marcas precisam entender que são responsáveis pelo que acontece nas fábricas. Não é suficiente dizer que não sabiam. Eles têm a responsabilidade de monitorar onde e sob quais condições suas roupas estão sendo feitas”.

Trabalho clandestino

Numa pequena fábrica clandestina em Istambul, uma das várias que a equipe do programa visitou com câmeras ocultas, foram encontradas e dezenas de adolescentes sírios trabalhando. A empresa reagiu e disse que vai garantir apoio financeiro aos jovens para que possam regressar à escola e que irá pagar salários justos aos refugiados adultos até que eles encontrem trabalho legal na Turquia.

A investigação descobriu ainda refugiados que trabalham 12 horas por dia em uma fábrica de calças jeans para as marcas Mango e Zara. Eles atuavam na pulverização de produtos químicos perigosos para branquear os tecidos, sem usar máscaras de proteção.

A Mango afirmou que a fábrica era subcontratada sem o seu conhecimento. Disse ainda que enviou inspetores ao local, que não descobriram quaisquer trabalhadores sírios e que, no geral, detectaram boas condições de trabalho.

Já a Inditex, empresa matriz da Zara, afirmou que suas inspeções nas fábricas são uma forma altamente eficaz de melhorar as condições de monitoramento e que já tinham encontrado inconformidades em uma auditoria feita em junho e tinham dado à fábrica um prazo até dezembro para a realização das melhorias necessárias.

 

Últimas Notícias

Jovens têm menos chance de contratação e mais de serem demitidos
Bolsa cai e dólar fecha em R$ 3,80
Araújo: dispensa de status especial na OMC nos coloca como país grande
Países sul-americanos devem sair de uma só vez da Unasul, diz ministro
Chanceler descarta emprego das Forças Armadas na Venezuela
Moçambique, Zimbábue e Malauí tentam identificar vítimas de ciclone
Nova Zelândia quer proibir, em abril, venda de armas do tipo militar
Conselho Europeu aceita prorrogar saída do Reino Unido para maio

MAIS NOTICIAS

 

Copom inicia reunião nesta terça para definir taxa básica de juros
 
 
Mercado reduz projeção de crescimento da economia de 2,28% para 2,01%
 
 
Atividade econômica tem queda de 0,41% em janeiro, diz BC
 
 
Governo lança edital de estudos para concessão de 22 aeroportos
 
 
Governo do Rio anuncia rompimento da concessão do Maracanã
 
 
Conflitos e segurança poderão contar pontos na avaliação de escolas

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212