Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


21 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 OMS investiga todas as complicações neurológicas causadas pelo zika - Jornal Brasil em Folhas
OMS investiga todas as complicações neurológicas causadas pelo zika


A OMS (Organização Mundial da Saúde) está estudando todas as complicações neurológicas relacionadas com o vírus zika, informaram nesta quarta-feira, em Genebra, dois encarregados da luta contra o vírus no organismo internacional.

Todas as anomalias relacionadas com o vírus, em especial a microcefalia, são conhecidas pelo nome Síndrome Congênita do Vírus Zika, afirmou Nathalie Broutet, coordenadora da agenda de pesquisa sobre o zika. A definição completa da síndrome ainda está em processo, acrescentou.

Boris Pavlin, responsável na OMS sobre a incidência do zika, disse que era necessário um orçamento de 112,5 milhões de dólares para lutar contra o vírus.

Segundo a OMS, os recém-nascidos afetados no útero pelo vírus podem apresentar anomalias particulares, como malformações da cabeça, irritabilidade, problemas para engolir, contração dos membros, convulsões, problemas de visão ou de audição e anomalias no cérebro.

O vírus zika também pode provocar abortos ou resultar no nascimento de natimortos.

A OMS indica que algumas destas anomalias não podem ser detectadas no útero, e só aparecem depois do nascimento, como convulsões ou problemas auditivos.

Desde 2015, 23 países anunciaram ter registrado casos de microcefalia e da síndrome de Guillain-Barré - doença neurológica grave em adultos que pode provocar paralisia temporária - potencialmente relacionados com o zika.

Segundo Pavlin, 19 países relataram uma incidência em aumento dos casos de Guillain-Barré em seus territórios, com vínculos confirmados com o zika.

O Brasil é o país que registrou mais casos de microcefalia potencialmente relacionados com o zika, com um total de 2.033, seguido pela Colômbia, com 46 casos.

Dez casos foram registrados na Guiana Francesa e 8 na Polinésia Francesa.

Segundo um estudo publicado em junho passado pela revista médica britânica The Lancet, o diagnóstico da infecção pelo vírus zika não deveria se basear unicamente na detecção da microcefalia nos recém-nascidos, mas levar em conta também outras anomalias cerebrais.

A microcefalia pode ser detectada durante a gravidez. Segundo a legislação de alguns países, o diagnóstico pode autorizar um aborto terapêutico. Este não é, por exemplo, o caso do Brasil.

Duas vacinas experimentais contra o zika estão sendo avaliadas, segundo a OMS, e os resultados da fase 1 dos testes clínicos estão sendo examinados.

Segundo o último balanço da OMS, 73 países estão afetados pelo vírus desde 2015, a maioria deles na América Latina e no Caribe.

O vírus zika, considerado pela OMS como uma emergência de saúde pública mundial, é transmitido principalmente pela picada de mosquitos do gênero Aedes (aegypti e albopictus), embora o contágio também possa ocorrer por contato sexual.

A próxima avaliação do vírus pelo comitê de urgência da OMS será realizada em novembro.

 

Últimas Notícias

Bolsonaro elogia Mandetta e Wagner Rosário, ministros anunciados hoje
Atos em Brasília marcam os 50 anos da Receita Federal
Temer pede que brasileiros reflitam sobre questão racial
Grafiteira faz mural de 500 m2 no Rio para homenagear mulheres negras
Dia da Consciência Negra é comemorado no Rio com homenagem a Zumbi
Estados poderão decidir se darão aulas a distância no ensino médio
Moro escolhe delegados da Lava Jato para PF e departamento do MJ
Estudante poderá escolher área a ser avaliada no segundo dia do Enem

MAIS NOTICIAS

 

Estimativa do mercado para inflação cai pela quarta vez seguida
 
 
Autoridades de Cuba anunciam retorno de médicos antes do fim do ano
 
 
Guatemala monitora atividades de vulcão que pode ter novas erupções
 
 
Ex-CEO da Nissan é preso no Japão suspeito de reduzir próprio lucro
 
 
Governador eleito do Rio promete nova concessão para o Maracanã
 
 
Relatório alerta que há 45 barragens sob ameaça de desabamento

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212