Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


18 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Maia entrega PEC do Teto de Gastos a Renan para análise do Senado - Jornal Brasil em Folhas
Maia entrega PEC do Teto de Gastos a Renan para análise do Senado


Acompanhado pelos líderes partidários, o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), entregou pessoalmente ao presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), o texto da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241, que limita os gastos públicos federais para os próximos 20 anos.

O texto foi aprovado em segundo turno na Câmara, na madrugada desta quarta-feira, por 359 votos favoráveis, 116 contrários e duas abstenções. A intenção do governo é agilizar a votação da proposta no Senado para que ela seja promulgada e entre em vigor em 1º de janeiro de 2017.

No Senado, o texto será submetido à Comissão de Constituição e Justiça, onde começará a tramitar para ser votado em plenário. Pelo calendário definido com Renan Calheiros, a votação em primeiro turno está prevista para o dia 29 de novembro e a votação final em segundo turno, para o dia 13 de dezembro.

Relator

A definição da relatoria da PEC do Teto dos Gastos no Senado deverá ocorrer ainda hoje. Os nomes mais prováveis para ocupar o cargo são os senadores Eunício Oliveira (PMDB-CE), Romero Jucá (PMDB-RR) e Ricardo Ferraço (PSBD-ES). Caberá ao relator elaborar o texto a ser encaminhado para votação, depois de analisar as emendas apresentadas pelos senadores.

A expectativa do governo é que os senadores mantenham o texto aprovado pelos deputados, para evitar que a proposta tenha que retornar à Câmara para nova votação. “Acho que o texto aprovado na Câmara é muito bom. Mas eles vão se debruçar na matéria. Para o Brasil seria bom que a medida fosse aprovada com o mesmo texto aprovado na Câmara”, disse Rodrigo Maia.

Após entregar a proposta a Renan, Maia voltou a defender a importância da PEC 241 para o equilíbrio das contas públicas. Além do limite nos gastos, o governo também pretende apresentar ao Congresso, nos próximos dias, uma proposta de reforma da Previdência Social, outra medida necessária para melhorar a situação fiscal do país, segundo o presidente da Câmara.

“Assim que [o texto da reforma da Previdência] chegar à Câmara, vamos encaminhar à Comissão de Constituição e Justiça e depois criar a comissão especial. Ao contrário do que muitos dizem, ela tem um beneficio no curto prazo enorme para a sociedade brasileira. A reforma da Previdência vai significar, junto com a PEC do Teto de Gastos, a redução da taxa de juros, a redução do desemprego no Brasil e um forte crescimento econômico, garantindo uma renda maior para os trabalhadores”, argumentou.

 

Últimas Notícias

Governadores pedem ao STF julgamento de processos sobre repasses
Ministro quer atrair investimentos privados para Jardim Botânico do RJ
Fies vai oferecer 100 mil vagas a juro zero para alunos de baixa renda
TJ libera R$ 13 milhões para Vale ressarcir gastos do governo mineiro
Vale pede mais tempo para analisar Termo de Ajuste Preliminar
Deputados do Rio presos podem ter posses suspensas
Vale suspende operação em barragem em Brucutu e de mina em Brumadinho
TRE-RJ mantém ex-deputado Paulo Melo inelegível até 2024

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212