Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


20 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Conta-petróleo registra superávit pelo terceiro mês seguido - Jornal Brasil em Folhas
Conta-petróleo registra superávit pelo terceiro mês seguido


A conta-petróleo, balanço que registra as exportações e importações de petróleo e derivados pelo Brasil, teve superávit pelo terceiro mês consecutivo em outubro. As vendas do combustível fóssil para o exterior superaram as compras em US$ 331 milhões no mês passado.

Com o resultado, o déficit da conta-petróleo está em US$ 114 milhões de janeiro a outubro, bem abaixo do registrado para igual período de 2015, quando o saldo negativo era US$ 4,5 bilhões.

Caso haja mais resultados positivos, de forma a zerar o déficit até dezembro, a conta-petróleo, tradicionalmente deficitária, pode encerrar o ano com superávit pela primeira vez na série histórica do governo.

Segundo Herlon Brandão, diretor do Departamento de Estatística e Apoio à Exportação do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, o principal motivo para os resultados positivos do balanço é a queda do preço do petróleo.

“Quando cai o preço [do petróleo], caem tanto as exportações quanto as importações”, explicou o diretor. Outras razões, segundo Brandão, são o aumento do volume exportado de petróleo e a redução do consumo doméstico devido à retração da atividade econômica.

Queda das exportações

Em outubro, as exportações brasileiras somaram US$ 13,7 bilhões. A média diária, que corresponde ao valor negociado por dia útil, ficou em US$ 686,1 milhões, valor 10,2% menor do que o registrado em outubro de 2015. Houve queda nas vendas de todos os grupos de produtos, com destaque para os básicos.

O valor vendido de produtos não industrializados caiu 18,6% na comparação com outubro de 2015, segundo o critério da média diária. Os ganhos com manufaturados caíram 4% e o valor arrecadado com os semimanufaturados recuou 0,4%, de acordo com o mesmo critério.

O mês registrou superávit de US$ 2,3 bilhões porque as importações recuaram 15%, mais do que as exportações. No ano, que tem superávit recorde de US$ 38,5 bilhões, enquanto as exportações caíram 5,1%, a média diária importada recuou 23,1%, também contribuindo para o saldo positivo.

Retração do comércio

Herlon Brandão reconheceu que o recuo das exportações pode ser relacionado à retração do comércio internacional. “O principal motivo é a demanda externa. Se não tem demanda, isso impacta o comércio”, afirmou.

Segundo ele, no entanto, problemas como a antecipação dos embarques de soja e a quebra da safra do milho afetaram o resultado de outubro. “Em outubro de 2015, foi US$ 1 bilhão em exportações de soja. Este mês, foram apenas US$ 400 milhões. O milho em grão teve uma quebra de safra de 25%. Isso impacta bastante, pois agora era para estar no auge”, exemplificou.

De acordo com Brandão, faltando dois meses para o fim do ano, o governo mantém a projeção de encerrar 2016 com superávit entre US$ 45 bilhões e US$ 50 bilhões. Caso o saldo positivo ultrapasse os US$ 46,4 bilhões registrados em 2006, será o maior superávit anual da história.

“O mês apresentou exportação mais baixa, mas também importação mais baixa. [O saldo de] US$ 2,3 bi é um pouco menor [do que os registrados em outros meses], mas sazonalmente é assim mesmo para outubro. Dezembro costuma apresentar os maiores superávits do ano. Portanto, nós mantemos essa expectativa”, disse o diretor.

 

Últimas Notícias

Atos em Brasília marcam os 50 anos da Receita Federal
Temer pede que brasileiros reflitam sobre questão racial
Grafiteira faz mural de 500 m2 no Rio para homenagear mulheres negras
Dia da Consciência Negra é comemorado no Rio com homenagem a Zumbi
Estados poderão decidir se darão aulas a distância no ensino médio
Moro escolhe delegados da Lava Jato para PF e departamento do MJ
Estudante poderá escolher área a ser avaliada no segundo dia do Enem
PF prende suspeitos de ligações com facções criminosas em sete estados

MAIS NOTICIAS

 

Estimativa do mercado para inflação cai pela quarta vez seguida
 
 
Autoridades de Cuba anunciam retorno de médicos antes do fim do ano
 
 
Guatemala monitora atividades de vulcão que pode ter novas erupções
 
 
Ex-CEO da Nissan é preso no Japão suspeito de reduzir próprio lucro
 
 
Governador eleito do Rio promete nova concessão para o Maracanã
 
 
Relatório alerta que há 45 barragens sob ameaça de desabamento

 


 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212