Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


20 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Cai em 18,5% total de portugueses que deixaram o país - Jornal Brasil em Folhas
Cai em 18,5% total de portugueses que deixaram o país


Em 2015, o número de portugueses que deixaram o país para viver em outras terras diminuiu 18,5%, se comparado com 2014. A natalidade e a imigração aumentaram. No entanto, a população residente no país continua caindo.

Os novos dados demográficos do país foram divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), entidade que anuncia as informações estatísticas oficiais de Portugal. O declínio populacional mantém-se desde 2010, embora tenha se atenuado nos dois últimos anos.

Em relação aos movimentos migratórios, houve um aumento no número de imigrantes, ou seja, estrangeiros que optaram por morar em Portugal, e uma diminuição no número de emigrantes, portugueses que deixaram o país. No entanto, como o número de imigrantes continuou a ser inferior ao de emigrantes, o saldo se manteve negativo (- 10.481 pessoas).

Estima-se que, durante o ano de 2015, tenham entrado em Portugal 29.896 pessoas, valor superior em 53,2% ao registrado em 2014 (19.516) e tenham saído, para residir no estrangeiro, 40.377 pessoas, menos 18,5% do que em 2014 (49.572).

A população residente em Portugal em 2015 foi estimada em 10.341.330 pessoas, cerca de 33.500 a menos que no ano anterior.

Nascimentos tiveram pequeno aumento em 2015

Ano passado, houve um ligeiro aumento do número de nascimentos (85.500 nascidos-vivos) em relação a 2014 (82.367 nascidos vivos). No entanto, esse aumento foi insuficiente para compensar o número de óbitos (108.511), fazendo com que o saldo natural tenha sido negativo (-23.011 pessoas).

Ainda em 2015, o índice de fecundidade foi de 1,3 filho, levemente superior ao de 2014 (1,23 filho). A idade média da mulher no nascimento do primeiro filho foi de 30,2 anos e a idade média da mulher ao nascimento de um filho foi de 31,7 anos, mantendo-se a tendência de adiamento da maternidade. Em 2014, os valores eram de 30 anos e 31,5 anos, respectivamente.

A expectativa de vida ao nascer foi estimada em 80,41 anos e continua mais alta para mulheres do que para os homens. Para o período 2013-2015, a expectativa de vida ao nascer para as mulheres é de 83,23 anos e para os homens, 77,36 anos.

 

Últimas Notícias

Estimativa do mercado para inflação cai pela quarta vez seguida
Autoridades de Cuba anunciam retorno de médicos antes do fim do ano
Guatemala monitora atividades de vulcão que pode ter novas erupções
Marcelo Piloto é extraditado do Paraguai para o Brasil
Ex-CEO da Nissan é preso no Japão suspeito de reduzir próprio lucro
Governador eleito do Rio promete nova concessão para o Maracanã
Relatório alerta que há 45 barragens sob ameaça de desabamento
Relatório alerta que há 45 barragens sob ameaça de desabamento

MAIS NOTICIAS

 

Estimativa do mercado para inflação cai pela quarta vez seguida
 
 
Autoridades de Cuba anunciam retorno de médicos antes do fim do ano
 
 
Guatemala monitora atividades de vulcão que pode ter novas erupções
 
 
Ex-CEO da Nissan é preso no Japão suspeito de reduzir próprio lucro
 
 
Governador eleito do Rio promete nova concessão para o Maracanã
 
 
Relatório alerta que há 45 barragens sob ameaça de desabamento

 


 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212