Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


21 de Sep de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Justiça impede libertação de protagonista de Making a Murderer - Jornal Brasil em Folhas
Justiça impede libertação de protagonista de Making a Murderer


Uma corte de apelações dos Estados Unidos impediu nesta quinta-feira a libertação de Brendan Dassey, enquanto aguarda o resultado de uma apelação da sentença de seu julgamento por homicídio, um caso retratado na popular série documental Making a Murderer

Uma corte de apelações dos Estados Unidos impediu nesta quinta-feira a libertação de Brendan Dassey, enquanto aguarda o resultado de uma apelação da sentença de seu julgamento por homicídio, um caso retratado na popular série documental Making a Murderer.

Há alguns instantes, a corte federal de apelações do sétimo distrito aprovou a solicitação do estado do Wisconsin de suspender a decisão do juiz William Duffin de libertar Brendan Dassey, informou o procurador-geral do estado, Brad Schimel, em um comunicado.

Dassey permanecerá na prisão à espera do resultado da apelação, acrescentou.

Duffin, juiz do Wisconsin, tinha ordenado na segunda-feira libertar o jovem de 27 anos, enquanto a procuradoria apelava da sentença em agosto passado com o qual reverteu a condenação determinada contra o acusado por homicídio.

Então, Schimel tinha anunciado que interporia um recurso para impedir a libertação de Dassey.

Dassey, que tem um coeficiente intelectual limitado, e seu tio Steven Avery, de 54 anos, foram condenados à prisão perpétua após terem sido acusados do assassinato da fotógrafa Teresa Halbach (25) em 2005.

Making a Murderer, a série popular lançada pelo serviço de streaming Netflix em dezembro passado, retrata a investigação frustrada ou simulada sobre o caso, assim como vários elementos que levam a crer que Dassey e Avery foram presos injustamente.

A decisão de Duffin tinha destacado principalmente a defesa desastrosa que Dassey teve em 2006 (quando tinha 16 anos), a cargo do advogado Leonard Kachinsky, que teve uma conduta indefensável, disse o juiz.

Depois do lançamento da série no Netflix multiplicaram-se os pedidos para liberar o jovem e seu tio, a ponto de a Casa Branca receber uma petição com mais de 130.000 assinaturas pedindo o perdão presidencial.

A Casa Branca respondeu que os dois acusados não foram condenados em um processo federal, mas pelo sistema judiciário do Wisconsin, razão pela qual o presidente não poderia lhes conceder a anistia.

Em um primeiro caso, Steven Avery já tinha passado 18 anos preso, acusado de uma violenta agressão sexual que não cometeu. Após exames de DNA, ele foi declarado inocente e libertado em 2003.

 

Últimas Notícias

Dia da Árvore: desmatamento vem caindo, mas ainda há desafios
Centro está preparado para lançamento de foguete após acidente
Cidades brasileiras integram programa de preservação de florestas
MP denuncia ex-marido de corretora assassinada no Rio
Bolsonaro segue estável e internado no Hospital Albert Einstein
Goiás entra para a elite dos Estados mais competitivos do País
Petrobras eleva gasolina em 2 centavos; diesel permanece inalterado
MME faz consulta sobre planejamento da transmissão de energia elétrica

MAIS NOTICIAS

 

Toffoli toma posse hoje na presidência do STF
 
 
Chanceler do Paraguai visita Brasil para negociar construção de pontes
 
 
Indústria recua em oito dos 15 locais pesquisados pelo IBGE em julho
 
 
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE
 
 
México investiga caso de deputadas forçadas a renunciar
 
 
A série de ataques de 11 de Setembro completa 17 anos

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212