Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


17 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Credeq cria rede de inclusão social dos pacientes - Jornal Brasil em Folhas
Credeq cria rede de inclusão social dos pacientes


Desde que foi inaugurado há quatro meses em Aparecida de Goiânia, o Centro de Referência e Excelência em Dependência Química, o Credeq Prof. Jamil Issy, tem trabalhado para estruturar uma rede que amplie as probabilidades dos seus pacientes obterem sucesso com a terapia contra a dependência química implementada pela instituição.

A estratégia é estabelecer parcerias com setores sociais de administrações municipais, que garantam acesso dos internos e de seus familiares, aos programas e projetos sociais durante e após o tratamento. A primeira parceria foi firmada com Aparecida de Goiânia e até o final deste mês estão agendadas reuniões com outros dois parceiros em potencial – Goiânia e Senador Canedo.inaug-1-junho-16

A meta inicial do trabalho – que está sendo desenvolvido pelos setores social e de planejamento – é articular pactos com os 16 municípios (Abadia, Aparecida de Goiânia, Aragarças, Caldas Novas, Goianésia, Goiânia, Goianira, Inhumas, Itaberaí, Ituaçu, Mineiros, Morrinhos, Rubiataba, Senador Canedo, Uruaçu e Uruana) que têm encaminhado pacientes para o Credeq Prof. Jamil Issy. Posteriormente, essa abrangência será ampliada.

6f8t2449Inaugurado em 23 de junho de 2016, o primeiro paciente foi internado no dia 27 de junho. A instituição, que é uma unidade da Secretaria da Saúde de Goiás, atendeu, até a primeira semana de novembro, 136 pacientes, sendo que 74 passaram pela internação e os outros 62 foram avaliados pela equipe multiprofissional (psiquiatra, psicólogos, assistente social e enfermeiro), mas não foram inseridos no protocolo terapêutico por não se adequaram ao perfil do Credeq Prof. Jamil Issy.

Referenciamento
Nesse período de atividades, o Credeq Prof. Jamil Issy recebeu dependentes químicos com idade entre 18 e 72 anos, sendo que a prevalência (81%) foi para pessoas com idade entre 18 e 43 anos de idade. Dentre os municípios que encaminharam pacientes, a capital goiana foi a que mais referenciou, com cerca de 65% dos encaminhamentos.

Atualmente, existem 30 pessoas em tratamento. Os pacientes do Credeq Prof. Jamil Issy são regulados por meio dos 11 Centros de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (Caps AD), distribuídos por diferentes municípios goianos. A previsão é de que, ao atingir a sua capacidade plena, a instituição de saúde passe a prestar atendimento às pessoas referenciadas pelos 74 Caps goianos e pelas unidades básicas de saúde dos municípios desprovidos de Caps.

Transtorno mental
credeqO Credeq Prof. Jamil Issy é um hospital psiquiátrico, uma vez que a dependência química é resultante de transtorno mental, como qualquer outro problema psiquiátrico ou neurológico. De acordo com o diretor técnico da unidade de saúde, psiquiatra Tiago Oliveira, a dependência é uma enfermidade crônica, progressiva e fatal.

Como em outras patologias, a intensidade dos casos matiza entre leves e severos. Essas pessoas, tanto pacientes, como familiares, precisam de assistência extremamente especializada e qualificada. Algo até então disponível apenas em serviços particulares e a um custo inacessível para a maior parte da população.

Hospitalizar
Nesse contexto, o Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Estado da Saúde, desenvolveu o projeto Credeq, cuja primeira unidade está em funcionamento desde junho deste ano. O Credeq Prof. Jamil Issy, em Aparecida de Goiânia, acolhe casos graves e severos de dependência, que exigem atendimento intensivo por parte de uma equipe especializada, com suporte para hospitalização.

Tiago Oliveira contesta o rótulo de manicômio atribuído por alguns setores da sociedade. “Quem classifica o Credeq como manicômio não enxerga a Psiquiatria como área da Medicina e a dependência como doença. Uma ótica sinuosa, cujo foco alcança apenas Credeq, mas se esquiva de permear as clínicas particulares que atuam na internação, compulsória ou não, de dependentes químicos”.

Tratamento
Fundamentado na humanização e no investimento com o bem-estar do paciente, o protocolo terapêutico do Credeq Prof. Jamil Issy consideracredeq as ferramentas científicas e emocionais para vencer a batalha contra a dependência química. Nesse cenário, o paciente no Credeq Prof. Jamil Issy não está preso a nenhum leito e os medicamentos são utilizados para tratar apenas sintomas nos processos de desintoxicação e terapêutico.

Quando é internada na unidade, a pessoa permanece no regime de desintoxicação (Detox), que dura sete dias. Em seguida, é incorporada ao grupo maior de pacientes, que obedecem a uma rotina que tem início às 7h30, com o café da manhã, e finda às 18 horas, com o jantar. Nesse período, o paciente participa de terapia coletivas e individuais, como atividades esportivas (musculação, hidroginástica, aeróbica, jogos de quadra, jogos de mesa), ações psicológicas, musicoterapia e horticultura. No período matinal de sábado, é hora da visita dos familiares.

Em sua permanência no Credeq Prof. Jamil Issy, o paciente divide o seu quarto com um outro paciente. Cada uma das oito UTR (Unidade de Tratamento Residencial) tem seis suítes, com 12 leitos cada.

Esses espaços foram criados com a intenção de replicar um ambiente familiar e restituir o interno à rotina social de uma residência. A maior parte das pessoas que está em tratamento também reaprende higiene pessoal, como se alimentar em grupo e à mesa, além de rememorar meios para manter seus pertences limpos e em ordem.

“A dependência química não apenas desestrutura a parte fisiológica da pessoa, mas suas relações sociais e comportamentos básicos para se manter saudável”, esclarece o psiquiatra Tiago Oliveira.

Horticultura
Entre as inúmeras opções terapêuticas, o Credeq Prof. Jamil Issy, em parceria com o escritório local da Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária (Emater de Aparecida de Goiânia), está disponibilizando tanto a formação teórica e prática em horticultura, quanto espaços físicos para formação dos canteiros.

Neste primeiro instante, estão sendo criadas duas hortas, com 12 canteiros, de aproximadamente quatro metros cada. As hortas serão cultivadas em função de cada UTR. A princípio serão plantadas hortaliças, tubérculos e plantas medicinais. A parceria com a Emater prevê, ainda, a viabilização de outros projetos, como o Pomar, a Lavoura Urbana e o Quintal Legal. A participação do paciente nessa terapia é opcional, pois é respeitada a restrição de cada um, fazendo com que o projeto terapêutico singular esteja em constante adaptação.

 

Últimas Notícias

Com pênalti controverso, Brasil vence Uruguai por um a zero
Brasil está preparado para substituir médicos cubanos, afirma Temer
Chega a quatro número de vítimas das chuvas em Belo Horizonte
Estudantes poderão renovar o Fies até o dia 23
Massoterapeuta Dani Bumbum deixa prisão no Rio
Cervejas terão rótulos com os ingredientes usados na fabricação
Temporal causa mortes e estragos em BH; adolescente está desaparecida
Bolsonaro reitera que decisão sobre médicos cubanos é humanitária

MAIS NOTICIAS

 

Volume de vendas do varejo cai 1,3% em setembro
 
 
Gilmar Mendes suspende decisão que obriga bancos a ressarcir clientes
 
 
Prefeitos e secretários pedem para manter cubanos no Mais Médicos
 
 
Em depoimento, Lula nega que é dono de sítio em Atibaia
 
 
Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 33 milhões no próximo sorteio
 
 
Enem: estudantes fazem hoje prova de matemática e ciências da natureza

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212