Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


17 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Presidente do STF critica situação do Presídio Central de Porto Alegre - Jornal Brasil em Folhas
Presidente do STF critica situação do Presídio Central de Porto Alegre


A ministra Carmen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), classificou como “precaríssimas” as condições do Presídio Central de Porto Alegre. Ela realizou uma visita surpresa ao local na manhã de hoje (18) para fiscalizar a situação dos 4.683 presos, sob custódia em um espaço destinado para abrigar no máximo 1.905 pessoas.

“O problema principal é mesmo o número excessivo e a falta de condições. O que alguns disseram é que não havia nem espaço físico para que todos pudessem dormir deitados ao mesmo tempo”, apontou a ministra.

Segundo ela, a direção do presídio fará um relatório que será a base de um plano de ação para resolver o problema. “Junto com o Poder Executivo, tanto federal quanto local, eu acho que nós podemos, aproveitar essa oportunidade de [resolver o problema da] superlotaçãor”, avaliou.

O problema da falta de vagas nas carceragens do Rio Grande do Sul teve seu ápice em outubro, quando começaram a ser registrados casos em que agentes da Brigada Militar precisaram manter presos em viaturas por falta de vagas nas unidades da Polícia Civil. Há poucos dias, dois homens chegaram a ser algemados a uma lixeira na calçada em frente ao Palácio da Polícia, em Porto Alegre.

O secretário de Segurança Pública do estado, Cezar Schirmer, anunciou, na semana passada, a construção de centros de triagem para abrigar presos provisórios, de modo a amenizar o problema. Quatro centros serão implantados em Porto Alegre e outro ficará em Charqueadas, na região metropolitana, anexo à Penitenciária Modulada Estadual. Enquanto as estruturas não são concluídas, o governo pretende utilizar contêineres para alocar os presos excedentes.

Solução contestada

A solução encontrada pelo governo, no entanto, não foi bem aceita pelo Conselho Estadual de Direitos Humanos do Rio Grande do Sul (CEDH-RS), que enviou um pedido ao governador José Ivo Sartori para que a instalação dos contêineres fosse suspensa. O documento foi ratificado pelo Conselho Nacional de Direitos Humanos (CNDH).

“Naquelas celas metálicas, em situação de confinamento, as temperaturas chegam a 50 graus, não há nenhuma higiene. O conselho não admite que essa hipótese volte a figurar no quadro de violações de direitos humanos do Brasil”, afirmou a presidente da entidade, Ivana Farina.

Os conselhos estadual e nacional recomendaram ao governo gaúcho que fosse instalado um grupo de trabalho para oferecer sugestões de solução para a problemática prisional no estado.

 

Últimas Notícias

Com pênalti controverso, Brasil vence Uruguai por um a zero
Brasil está preparado para substituir médicos cubanos, afirma Temer
Chega a quatro número de vítimas das chuvas em Belo Horizonte
Estudantes poderão renovar o Fies até o dia 23
Massoterapeuta Dani Bumbum deixa prisão no Rio
Cervejas terão rótulos com os ingredientes usados na fabricação
Temporal causa mortes e estragos em BH; adolescente está desaparecida
Bolsonaro reitera que decisão sobre médicos cubanos é humanitária

MAIS NOTICIAS

 

Morre em Pelotas o criador da camisa canarinho, Aldyr Schlee
 
 
Brasil concentrou 40% dos feminicídios da América Latina em 2017
 
 
Jungmann e Toffoli anunciam sistema para unificar processos de presos
 
 
Pensamento liberal deve guiar a equipe econômica de Bolsonaro
 
 
Gold3-4 minutosfajn permanecerá à frente do BC até Senado aprovar Campos Neto
 
 
Senado argentino aprova orçamento de 2019 como prometeu ao FMI

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212