Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


19 de Jan de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Merkel promete que Alemanha não se isolará e defende alianças com UE e EUA - Jornal Brasil em Folhas
Merkel promete que Alemanha não se isolará e defende alianças com UE e EUA


A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, rejeitou nesta quarta-feira os populismos que respondem com soluções fáceis problemas globais e complicados, e garantiu que a Alemanha não se fechará em si mesma e defenderá os valores da economia social de mercado e da justiça social com seus aliados, a União Europeia e os Estados Unidos.

Em discurso diante do plenário do parlamento em seu primeiro comparecimento público após anunciar que, no próximo ano, voltará a concorrer para um novo mandato, Merkel deixou claro que a Alemanha não pode resolver sozinha os problemas do mundo, mas garantiu que contribuirá para isso.

Merkel apostou no multilateralismo, elogiou o acordo de livre-comércio com o Canadá e admitiu que não estava contente com a decisão do presidente eleito dos EUA, Donald Trump, de retirar seu país do Acordo de Associação Transpacífico (TPP), uma decisão que, na opinião da chanceler, não beneficiará ninguém.

A chefe de governo alemã reconheceu que o atual panorama internacional e nacional é mais complicado que o de alguns anos atrás e assumiu que compreende o medo dos cidadãos quando princípios que eram óbvios nas sociedades democráticas ocidentais passam a ser questionados, por isso reiterou a necessidade de que as pessoas se mostrem unidas frente aos populismos.

E, além disso, a chanceler alemã destacou a importância de combater as mensagens e informações manipuladas e falsas que são disseminadas pela internet.

Contra aqueles que usam os medos dos cidadãos para se promoverem, Merkel lembrou a positiva evolução econômica do país nos últimos anos e o aumento nas contribuições sociais e previdência.

A chanceler lembrou também a incrível resposta internacional para a catástrofe da Segunda Guerra Mundial, com a criação das Nações Unidas e da Convenção de Direitos Humanos, e defendeu a continuidade desse caminho para dotar de humanidade a globalização.

Durante a presidência rotativa do G20, que a Alemanha assume em dezembro, Merkel pretende continuar com os avanços na transparência dos mercados financeiros internacionais e no desenvolvimento do continente africano, que será uma das prioridades de Berlim.

No âmbito da UE, a chanceler reconheceu a necessidade de lutar contra a falta de credibilidade do bloco e de acelerar os processos de tomada de decisões.

Para Merkel, é preciso assumir que já não é possível traçar uma linha que separe a política interna da externa e que a segurança, o bem-estar e a prosperidade dos cidadãos de cada país dependem das relações internacionais.

 

Últimas Notícias

Inep divulga resultado do Enem
Frédéric Lamotte é o novo diretor geral da CA Indosuez Wealth (Miami) e responsável Global da região das Américas
A ACIRLAG chega para impulsionar o setor econômico da região Leste de Aparecida
Inep divulga notas do Enem na sexta-feira
Bolsonaro sanciona Lei do Orçamento 2019 de mais de R$ 3,3 trilhões
Parlamento venezuelano aprova acordo para entrada de ajuda humanitária
Imigrantes hondurenhos sofrem com obstáculos para passagem de caravana
Militares vão atuar de forma mais intensa no Programa Mais Médicos

MAIS NOTICIAS

 

ANP aprova credenciamento de empresa certificadora
 
 
Política de combate à inflação foi bem-sucedida, diz presidente do BC
 
 
Marcos Pontes: fusão de Embraer e Boeing preserva interesses do país
 
 
Número de linhas de celular tem maior queda do ano em novembro
 
 
ANP: Petrobras pede prazo maior para definir quais campos vai explorar
 
 
Ex-presidente do Banco Central defende política econômica do governo

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212