Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


18 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Seul e Tóquio assinam pacto para compartilhar dados militares de Pyongyang - Jornal Brasil em Folhas
Seul e Tóquio assinam pacto para compartilhar dados militares de Pyongyang


Coreia do Sul e Japão assinaram nesta quarta-feira, em Seul, um tratado que permitirá as duas nações compartilharem informações sobre as atividades militares do regime da Coreia do Norte.

Os dois países decidiram assinar o Pacto Geral de Segurança sobre Informação Militar (GSOMIA, sigla em inglês) por conta do recente aumento de testes com armas realizados pelos norte-coreanos.

O ministro da Defesa sul-coreano, Han Min-koo, e o embaixador japonês na Coreia do Sul, Yasumasa Nagamine, assinaram o documento no Ministério da Defesa, em Seul, informou a agência Yonhap.

O documento entrou em vigor imediatamente, já que não necessita de aprovação parlamentar.

Tóquio e Seul haviam pré-acordado o GSOMIA há quase meia década, mas a assinatura do acordo foi cancelada na última hora em 2012 pela controvérsia que gerou então na Coreia do Sul o primeiro acordo de defesa com o Japão, país que exerceu um domínio colonial sobre a península coreana entre 1910 e 1945.

Na verdade, três partidos da oposição sul-coreana protestaram contra a assinatura do tratado e ameaçaram forçar a renúncia do ministro da Defesa em um momento de extrema fraqueza do governo da presidente Park Geun-hye, envolvida em um escândalo de corrupção e abuso de poder liderado por uma colaboradora próxima.

Porta-vozes do Ministério da Defesa sul-coreano ressaltaram hoje os benefícios do pacto diante do recente aumento de testes de mísseis e nucleares realizados pelo regime de Kim Jong-un e consideraram que uma crise política doméstica não deveria comprometer um tema de segurança nacional.

O tratado permitirá que a Coreia do Sul e Japão compartilhem dados confidenciais sobre os programas de armas de Pyongyang de maneira direta e não através dos Estados Unidos, como fizeram até agora, em virtude de outro pacto trilateral assinado em 2014.

 

Últimas Notícias

Bolsonaro terá uma série de reuniões na próxima semana em Brasília
Com pênalti controverso, Brasil vence Uruguai por um a zero
Brasil está preparado para substituir médicos cubanos, afirma Temer
Chega a quatro número de vítimas das chuvas em Belo Horizonte
Estudantes poderão renovar o Fies até o dia 23
Massoterapeuta Dani Bumbum deixa prisão no Rio
Cervejas terão rótulos com os ingredientes usados na fabricação
Temporal causa mortes e estragos em BH; adolescente está desaparecida

MAIS NOTICIAS

 

Morre em Pelotas o criador da camisa canarinho, Aldyr Schlee
 
 
Brasil concentrou 40% dos feminicídios da América Latina em 2017
 
 
Jungmann e Toffoli anunciam sistema para unificar processos de presos
 
 
Pensamento liberal deve guiar a equipe econômica de Bolsonaro
 
 
Gold3-4 minutosfajn permanecerá à frente do BC até Senado aprovar Campos Neto
 
 
Senado argentino aprova orçamento de 2019 como prometeu ao FMI

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212