Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


17 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Seul e Tóquio assinam pacto para compartilhar dados militares de Pyongyang - Jornal Brasil em Folhas
Seul e Tóquio assinam pacto para compartilhar dados militares de Pyongyang


Coreia do Sul e Japão assinaram nesta quarta-feira, em Seul, um tratado que permitirá as duas nações compartilharem informações sobre as atividades militares do regime da Coreia do Norte.

Os dois países decidiram assinar o Pacto Geral de Segurança sobre Informação Militar (GSOMIA, sigla em inglês) por conta do recente aumento de testes com armas realizados pelos norte-coreanos.

O ministro da Defesa sul-coreano, Han Min-koo, e o embaixador japonês na Coreia do Sul, Yasumasa Nagamine, assinaram o documento no Ministério da Defesa, em Seul, informou a agência Yonhap.

O documento entrou em vigor imediatamente, já que não necessita de aprovação parlamentar.

Tóquio e Seul haviam pré-acordado o GSOMIA há quase meia década, mas a assinatura do acordo foi cancelada na última hora em 2012 pela controvérsia que gerou então na Coreia do Sul o primeiro acordo de defesa com o Japão, país que exerceu um domínio colonial sobre a península coreana entre 1910 e 1945.

Na verdade, três partidos da oposição sul-coreana protestaram contra a assinatura do tratado e ameaçaram forçar a renúncia do ministro da Defesa em um momento de extrema fraqueza do governo da presidente Park Geun-hye, envolvida em um escândalo de corrupção e abuso de poder liderado por uma colaboradora próxima.

Porta-vozes do Ministério da Defesa sul-coreano ressaltaram hoje os benefícios do pacto diante do recente aumento de testes de mísseis e nucleares realizados pelo regime de Kim Jong-un e consideraram que uma crise política doméstica não deveria comprometer um tema de segurança nacional.

O tratado permitirá que a Coreia do Sul e Japão compartilhem dados confidenciais sobre os programas de armas de Pyongyang de maneira direta e não através dos Estados Unidos, como fizeram até agora, em virtude de outro pacto trilateral assinado em 2014.

 

Últimas Notícias

Governadores pedem ao STF julgamento de processos sobre repasses
Ministro quer atrair investimentos privados para Jardim Botânico do RJ
Fies vai oferecer 100 mil vagas a juro zero para alunos de baixa renda
TJ libera R$ 13 milhões para Vale ressarcir gastos do governo mineiro
Vale pede mais tempo para analisar Termo de Ajuste Preliminar
Deputados do Rio presos podem ter posses suspensas
Vale suspende operação em barragem em Brucutu e de mina em Brumadinho
TRE-RJ mantém ex-deputado Paulo Melo inelegível até 2024

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212