Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


20 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Inflação pelo IPCA-15 fecha novembro em 0,26%, mas acumulado do ano é de 6,38% - Jornal Brasil em Folhas
Inflação pelo IPCA-15 fecha novembro em 0,26%, mas acumulado do ano é de 6,38%


A inflação - medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – 15 (IPCA-15) - fechou o mês de novembro com variação de 0,26%, o menor resultado do indicador para os meses de novembro desde a taxa de 0,23% de 2007.

Os dados foram divulgados hoje (23) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no Rio de Janeiro, e indicam que o resultado acumulado de janeiro a novembro é de 6,38%, bem abaixo dos 9,42% anotados em igual período do ano passado.

Apesar do índice relativamente baixo, a taxa de novembro deste ano é 0,07 ponto percentual maior que a de outubro: 0,19%. Considerando os últimos 12 meses, o índice foi para 7,64%, também abaixo dos 8,27% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores. Em outubro de 2015, havia sido 0,85%.

Retração

A retração dos preços dos alimentos, que, por algum tempo vinha pressionando a inflação para cima, mais uma vez contribuiu para que a inflação ficasse em patamar baixo, uma vez que o grupo saúde e cuidados pessoais continuou pressionando para cima.

Segundo o IBGE, enquanto os preços do grupo alimentação e bebidas fecharam com deflação (inflação negativa) de 0,06%, os de saúde e cuidados pessoais chegaram a subir 0,68%. O grupo vestuário, com variação também negativa (-0,03%), contribuiu para segurar os preços do IPCA-15, em novembro.

Alimentação tem redução de preços

Mesmo fechando novembro com queda de preços menos intensa do que em outubro, o grupo alimentação e bebidas acusou redução de preços em vários dos produtos considerados pelo IBGE como importantes na composição da cesta das famílias.

Os dados indicam que, com a inflação negativa de 0,06% em novembro, o IPCA-15 já acumula nos últimos dois meses uma queda de 0,31 ponto percentual. O principal destaque ficou com o leite longa vida, produto importante para muitas famílias. Ele passou a custar 10,52% a menos em novembro, e, com isso, exerceu o principal impacto para baixo no índice do mês (-0,12 ponto percentual).

Outros itens alimentícios que se destacaram foram: feijão-carioca (-11,84%), feijão-mulatinho (-7,82%), tomate (-6,61%) e cenoura (-4,31%), todos vilão da inflação há pouco tempo. Mesmo com o grupo em queda, alguns alimentos exerceram pressão de alta sobre o índice, especialmente açúcar cristal (3,73%), pescados (3,91%), batata-inglesa (3,26%), cerveja (2,36%) e carnes (1,43%).

Influência dos seguros e planos de saúde

Os números do IPCA-15 trazem em novembro uma tendência de alta, com destaque para o etanol, cujo litro ficou 7,29% mais caro, e, assim, exercendo o mais elevado impacto individual no mês (0,07 ponto percentual). O IBGE chama a atenção, também, para o item multa [de trânsito] pelo expressivo aumento de 23,72%, como reflexo do reajuste médio de 53%, em vigor desde 1º de novembro.

Outros itens que também influenciaram o resultado do mês foram: seguro de veículo (2,61%), plano de saúde (1,07%), empregado doméstico (0,87%), mão de obra para pequenos reparos (0,87%), artigos de higiene pessoal (0,87%), emplacamento e licença (0,80%), cabeleireiro (0,67%) e gasolina (0,59%).

Pesquisa por regiões

A análise regional do IPCA-15 mostra que, em novembro, a alta mais expressiva foi registrada na região metropolitana de Recife (0,55%), resultado que chega a ser 0,29 ponto percentual superior à média nacional de 0,26%. Também apresentaram resultados acima da média nacional o Rio de Janeiro e São Paulo, com alta de 0,29%.

Já a menor variação foi anotada em Goiânia, onde o IPCA-15 fechou com inflação negativa de 0,03%, influenciada pela queda de 4,15% do item energia elétrica. Também tiveram variação perto de zero Belém e Porto Alegre com alta de apenas 0,3%.

O que é o IPCA-15

Prévia da inflação oficial do país, o IPCA-15 tem praticamente a mesma metodologia do índice utilizado pelo Banco Central para o balizamento das metas de inflação. A diferença está na periodicidade e na abrangência geográfica.

Para o IPCA-15, os preços foram coletados no período de 14 de outubro a 14 de novembro (mês de referência) e comparados com os vigentes de 15 de setembro a 13 de outubro. O indicador refere-se às famílias com rendimento de 1 a 40 salários mínimos.

 

Últimas Notícias

Estimativa do mercado para inflação cai pela quarta vez seguida
Autoridades de Cuba anunciam retorno de médicos antes do fim do ano
Guatemala monitora atividades de vulcão que pode ter novas erupções
Marcelo Piloto é extraditado do Paraguai para o Brasil
Ex-CEO da Nissan é preso no Japão suspeito de reduzir próprio lucro
Governador eleito do Rio promete nova concessão para o Maracanã
Relatório alerta que há 45 barragens sob ameaça de desabamento
Relatório alerta que há 45 barragens sob ameaça de desabamento

MAIS NOTICIAS

 

Estimativa do mercado para inflação cai pela quarta vez seguida
 
 
Autoridades de Cuba anunciam retorno de médicos antes do fim do ano
 
 
Guatemala monitora atividades de vulcão que pode ter novas erupções
 
 
Ex-CEO da Nissan é preso no Japão suspeito de reduzir próprio lucro
 
 
Governador eleito do Rio promete nova concessão para o Maracanã
 
 
Relatório alerta que há 45 barragens sob ameaça de desabamento

 


 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212