Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


14 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Promotoria espanhola pede dois anos de prisão para Neymar por fraude - Jornal Brasil em Folhas
Promotoria espanhola pede dois anos de prisão para Neymar por fraude


O Ministério Público espanhol pediu dois anos de prisão para o jogador Neymar por suposta fraude em sua transferência do Santos para o Barcelona, em 2013. Além da detenção, a Promotoria pede ainda que o jogador pague multa de € 10 milhões.

O promotor José Perals solicitou também a prisão por cinco anos de Sandro Rosell (presidente do clube catalão na época da transferência) por corrupção e fraude na assinatura do contrato do atacante com o fundo de investimentos DIS, que era dono de 40% dos direitos econômicos do atacante e se diz prejudicado com o negócio.

O julgamento de Neymar na Audiência Nacional, caso o processo seja aceito pelo juiz nos próximos dias, provavelmente ocorreria apenas no ano que vem. Não há uma previsão concreta de data.

A Audiência Nacional é um tribunal espanhol especial com jurisdição em todo o território da Espanha. São julgados ali casos como os de terrorismo e de crime organizado.

Procurada pela Folha, a corte afirmou que uma possível decisão no caso de Neymar ainda poderia ser apelada em instâncias mais altas, como o Supremo Tribunal.

A promotoria pediu um ano de prisão para a mãe de Neymar, Nadine, sócia da N&N (empresa que fez o acordo com o Barcelona).

Também nesta quarta, a DIS apresentou sua peça de acusação à Justiça na qual também pede a prisão de todos os envolvidos, incluindo Neymar, Neymar pai, o ex-presidente do Santos, Odilio Rodrigues, e o ex-presidente do Barcelona, Sandro Rosell. A DIS alega que a família Neymar agiu de forma corrupta e cobra também indenização ao Barcelona.

"O Barcelona e o jogador burlaram as normas da Fifa e alteraram a livre competição no mercado de transferências. Mas, mais que o enfoque legal, devemos nos perguntar que tipo de exemplo dá um esportista que é capaz de trair assim quem confiou e investiu nele, incluindo a assinatura de contratos simulados. São esses valores que queremos transmitir a nossos filhos? São esses os valores do Barcelona? O que pensam os patrocinadores do Barcelona e do jogador? Não podemos consentir que Neymar seja exemplo para nossos filhos", disse o diretor da DIS, Roberto Moreno.

Na sua ação, a DIS pede a prisão de Neymar por cinco anos. A empresa solicita ainda que o jogador fique impossibilitado de atuar durante o período da pena.

A ação movida na Justiça espanhola havia sido arquivada, mas foi reaberta em setembro e a denúncia foi aceita pelo juiz da Audiência Nacional, José de La Mata.

A assessoria de imprensa de NN consultoria, empresa que administra a carreira de Neymar, informou que "as partes ainda não foram notificadas e nem comunicadas sobre a abertura de acusação do Ministério Público e no período certo irão apresentar a defesa".

"Continuamos tranquilos porque todos os contratos foram firmados com respeito aos preceitos legais, éticos e morais e com a ciência do Santos Futebol Clube e FC Barcelona. Seguimos seguros que o tempo oferecerá todas as respostas positivas", completa a nota da assessoria de Neymar.

DENÚNCIA

No dia 7 de novembro, o juiz espanhol José de la Mata havia aceitado denúncia contra Neymar por corrupção entre entes privados, por causa de sua transferência para o Barcelona. Além de Neymar, também foram denunciados por corrupção os pais do jogador.

O presidente do Barcelona, Josep Maria Bartomeu (que era vice-presidente em 2013), Sandro Rosell e o próprio clube catalão foram denunciados por corrupção e calote, crime pelo qual também terão de responder o Santos e Odílio Rodrigues Filho, comandante do clube alvinegro na época da transferência.

Em julho, o juiz De la Mata havia decidido arquivar o processo, mas ele o reabriu em setembro. O juiz se baseou no contrato de 40 milhões de euros (R$ 141,5 milhões, em valores atuais) firmado entre Neymar e o Barcelona em 2011 para aceitar a denúncia.

De la Mata afirma que aquele acordo "alterou o livre mercado de contratação de jogadores. Ele impediu que o jogador entrasse no mercado conforme as regras da livre competição, de modo que se obtivesse uma maior quantidade econômica pela transferência".

Quando Neymar se transferiu para o Barcelona, foi anunciado que o clube catalão havia pago 17,1 milhões de euros pelo jogador (R$ 60 milhões), mas uma investigação conduzida na Espanha levou à descoberta de que o valor real era de 86, 2 milhões (R$ 305 milhões). O Barcelona admitiu a fraude, e isso resultou na saída de Rosell do clube, em janeiro de 2014.

Foi baseado nessa investigação que o DIS, em junho de 2015, apelou à Justiça espanhola, alegando que havia sido passado para trás por Barcelona, Santos e Neymar. Em um comunicado divulgado nesta segunda, o Barcelona se diz inconformado com a denúncia.

"A diretoria do clube expressa sua surpresa e desconformidade com essa decisão, especialmente tendo em conta que o mesmo juiz havia decidido arquivar o caso em julho passado e que, no caso do presidente Bartomeu, o Ministério Fiscal (órgão fiscal da Espanha) nem sequer propôs sua acusação."

"Não houve calote algum. Houve a contratação de um jogador que queria vir para o Barcelona. Existiu, sim, um erro de planejamento fiscal, mas nunca corrupção e calote", afirmou Josep Vives, porta-voz do Barcelona.

Em nota divulgada por sua assessoria de imprensa, Neymar se disse tranquilo. "Todos os contratos foram firmados com respeito aos preceitos legais, éticos e morais e com a ciência do Santos Futebol Clube e do FC Barcelona", diz a nota.

Procurado pela Folha, Odílio Rodrigues Filho preferiu não se manifestar. "Não vou falar sobre o caso. Esse assunto será tratado apenas pelos meus advogados." O Santos, por sua vez, não respondeu aos contatos feitos pela reportagem.

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212