Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


23 de Mar de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Após Fidel, vendedores de imóveis em Cuba sonham alto - Jornal Brasil em Folhas
Após Fidel, vendedores de imóveis em Cuba sonham alto


Os corretores de imóveis que passam o dia na Avenida Paseo de Martí, conhecida como Prado, em Havana, esperam que a morte de Fidel Castro leve seu irmão e sucessor Raúl a abrir mais a economia e incentivar os negócios.

Desde 2011, a compra e a venda de imóveis foi facilitada para os cubanos. Um apartamento de dois quartos sai por 15 000 cucs, a moeda conversível para turistas que quase equivale ao dólar. Em moeda brasileira, o montante daria cerca de 50 000 reais.

Apesar da pechincha, as regras são muito rígidas, o que dificulta a compra por estrangeiros. Os apartamentos só podem ser vendidos para alguém com documento de residência na ilha.

Os corretores se oferecem para resolver isso com um casamento arrumado. Por mais 4 000 cucs (14 000 reais), eles encontram uma cubana disposta a subir ao altar.

Depois da cerimônia, eles calculam que o documento de residência chegue em três meses. Então, o estrangeiro, agora meio-cubano, já poderia separar-se e tocar a vida normalmente.

As amarras burocráticas, obviamente, fazem com que os negócios não prosperem como o esperado.

“Agora que Fidel morreu, Raúl vai poder fazer o que bem entender e abrir mais a economia”, diz um dos corretores no Prado.

Outro corretor, quando entrevistado por uma finlandesa com câmera de vídeo na mão, teceu vários elogios ao ditador falecido: “Fidel ajudou Cuba a dar um salto. Ele tinha um plano na cabeça. Agora, estamos todos muito tristes com sua morte”, disse ele para a estrangeira.

 

Últimas Notícias

Jovens têm menos chance de contratação e mais de serem demitidos
Bolsa cai e dólar fecha em R$ 3,80
Araújo: dispensa de status especial na OMC nos coloca como país grande
Países sul-americanos devem sair de uma só vez da Unasul, diz ministro
Chanceler descarta emprego das Forças Armadas na Venezuela
Moçambique, Zimbábue e Malauí tentam identificar vítimas de ciclone
Nova Zelândia quer proibir, em abril, venda de armas do tipo militar
Conselho Europeu aceita prorrogar saída do Reino Unido para maio

MAIS NOTICIAS

 

Copom inicia reunião nesta terça para definir taxa básica de juros
 
 
Mercado reduz projeção de crescimento da economia de 2,28% para 2,01%
 
 
Atividade econômica tem queda de 0,41% em janeiro, diz BC
 
 
Governo lança edital de estudos para concessão de 22 aeroportos
 
 
Governo do Rio anuncia rompimento da concessão do Maracanã
 
 
Conflitos e segurança poderão contar pontos na avaliação de escolas

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212