Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


21 de Jan de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Corpos de vítimas da queda do voo da Chapecoense podem ser enviados ao Brasil nesta quinta - Jornal Brasil em Folhas
Corpos de vítimas da queda do voo da Chapecoense podem ser enviados ao Brasil nesta quinta


Os peritos do Instituto Médico Legal de Medellín já identificaram os corpos de todas as 71 vítimas da queda do voo da Chapecoense na madrugada de terça-feira. Destes, 64 são brasileiros. Há ainda cinco bolivianos, um paraguaio e um venezuelano.

Com a identificação concluída, começam oa trâmites burocráticos para que os corpos possam ser enviados para os seus países de origem. No caso dos brasileiros, os corpos podem começar a ser enviados a partir desta quinta-feira e devem chegar no Brasil entre sexta-feira e sábado. O velório na Arena Condá deve ser nesta sexta-feira.

De acordo com o diretor do Instituto Nacional de Medicina Legal da Colômbia, Carlos Eduardo Valdés, os profissionais trabalharam diariamente e sem descanso para poderem identificar o mais rápido possível todas as vítimas da tragédia.

Segundo o embaixador do Brasil na Colômbia, Júlio Glinternick Bitelli, inicialmente se pensou que as famílias das vítimas teriam que viajar até Medellín para acompanhar a saída dos corpos até o Brasil, mas isso não será necessário.

- Foi dado aos familiares a liberdade de escolher se eles queriam viajar ou não. Muitos preferiram permanecer no Brasil e esperar pela repatriação dos seus entes queridos. E estamos trabalhando muito nisso - acrescentou.

A família do piloto Miguel Alejanro Quiroga Murakami espera para esta quinta a chegada do corpo.

- Estamos sem muitas informações. Sabemos que é difícil e complicado todo o processo de repatriação. Além disso, de certa maneira, estamos impedidos de ir até Medellín porque viemos em uma zona de selva - disse a cunhada do piloto, Denise Pinto.

Ainda que Quiroga vivesse em Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, frequentemente ele visitava a sua família em Epitacolândia, no Acre. A região não tem qualquer aeroporto.

Representante dos familiares das vítimas, Gilberto Batisteyo, disse que uma comitiva viajou com médicos legistas do governo do Brasil, funcionários da prefeitura de Chapecó e familiares de algumas vítimas, viajaram para Rionegro, na Colômbia, para acompanhar o processo de traslado dos corpos.

- Os médicos também estão acompanhando os três pacientes sobreviventes que estão em três hospitais. Estamos dando o maior apoio possível para que consigamos concluir o reconhecimento (dos corpos) e fazer o traslado de todos ao seu destino.

Os sobreviventes permanecem internados no hospital.


 

Últimas Notícias

Inep divulga resultado do Enem
Frédéric Lamotte é o novo diretor geral da CA Indosuez Wealth (Miami) e responsável Global da região das Américas
A ACIRLAG chega para impulsionar o setor econômico da região Leste de Aparecida
Inep divulga notas do Enem na sexta-feira
Bolsonaro sanciona Lei do Orçamento 2019 de mais de R$ 3,3 trilhões
Parlamento venezuelano aprova acordo para entrada de ajuda humanitária
Imigrantes hondurenhos sofrem com obstáculos para passagem de caravana
Militares vão atuar de forma mais intensa no Programa Mais Médicos

MAIS NOTICIAS

 

ANP aprova credenciamento de empresa certificadora
 
 
Política de combate à inflação foi bem-sucedida, diz presidente do BC
 
 
Marcos Pontes: fusão de Embraer e Boeing preserva interesses do país
 
 
Número de linhas de celular tem maior queda do ano em novembro
 
 
ANP: Petrobras pede prazo maior para definir quais campos vai explorar
 
 
Ex-presidente do Banco Central defende política econômica do governo

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212