Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


15 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Corpos de vítimas da queda do voo da Chapecoense podem ser enviados ao Brasil nesta quinta - Jornal Brasil em Folhas
Corpos de vítimas da queda do voo da Chapecoense podem ser enviados ao Brasil nesta quinta


Os peritos do Instituto Médico Legal de Medellín já identificaram os corpos de todas as 71 vítimas da queda do voo da Chapecoense na madrugada de terça-feira. Destes, 64 são brasileiros. Há ainda cinco bolivianos, um paraguaio e um venezuelano.

Com a identificação concluída, começam oa trâmites burocráticos para que os corpos possam ser enviados para os seus países de origem. No caso dos brasileiros, os corpos podem começar a ser enviados a partir desta quinta-feira e devem chegar no Brasil entre sexta-feira e sábado. O velório na Arena Condá deve ser nesta sexta-feira.

De acordo com o diretor do Instituto Nacional de Medicina Legal da Colômbia, Carlos Eduardo Valdés, os profissionais trabalharam diariamente e sem descanso para poderem identificar o mais rápido possível todas as vítimas da tragédia.

Segundo o embaixador do Brasil na Colômbia, Júlio Glinternick Bitelli, inicialmente se pensou que as famílias das vítimas teriam que viajar até Medellín para acompanhar a saída dos corpos até o Brasil, mas isso não será necessário.

- Foi dado aos familiares a liberdade de escolher se eles queriam viajar ou não. Muitos preferiram permanecer no Brasil e esperar pela repatriação dos seus entes queridos. E estamos trabalhando muito nisso - acrescentou.

A família do piloto Miguel Alejanro Quiroga Murakami espera para esta quinta a chegada do corpo.

- Estamos sem muitas informações. Sabemos que é difícil e complicado todo o processo de repatriação. Além disso, de certa maneira, estamos impedidos de ir até Medellín porque viemos em uma zona de selva - disse a cunhada do piloto, Denise Pinto.

Ainda que Quiroga vivesse em Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, frequentemente ele visitava a sua família em Epitacolândia, no Acre. A região não tem qualquer aeroporto.

Representante dos familiares das vítimas, Gilberto Batisteyo, disse que uma comitiva viajou com médicos legistas do governo do Brasil, funcionários da prefeitura de Chapecó e familiares de algumas vítimas, viajaram para Rionegro, na Colômbia, para acompanhar o processo de traslado dos corpos.

- Os médicos também estão acompanhando os três pacientes sobreviventes que estão em três hospitais. Estamos dando o maior apoio possível para que consigamos concluir o reconhecimento (dos corpos) e fazer o traslado de todos ao seu destino.

Os sobreviventes permanecem internados no hospital.


 

Últimas Notícias

Presidente Díaz-Canel defende trabalho de médicos cubanos no Brasil
Ministério vai lançar edital para repor vagas de médicos cubanos
CFM afirma que há médicos suficientes para atender Brasil
Associação lança projeto para conscientizar população sobre diabetes 2
Transposição do S. Francisco está na pauta de prioridades da transição
Temer inaugura primeira etapa do acelerador de elétrons Sirius
Temer diz que decidirá “lá na frente” reajuste de ministros do STF
Só um governador do Nordeste participa de encontro em Brasília

MAIS NOTICIAS

 

Volume de vendas do varejo cai 1,3% em setembro
 
 
Gilmar Mendes suspende decisão que obriga bancos a ressarcir clientes
 
 
Prefeitos e secretários pedem para manter cubanos no Mais Médicos
 
 
Em depoimento, Lula nega que é dono de sítio em Atibaia
 
 
Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 33 milhões no próximo sorteio
 
 
Enem: estudantes fazem hoje prova de matemática e ciências da natureza

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212