Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


20 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Presidente da Itália pede para Matteo Renzi adiar renúncia - Jornal Brasil em Folhas
Presidente da Itália pede para Matteo Renzi adiar renúncia


O presidente da Itália, Sergio Mattarella, pediu nesta tarde para o primeiro-ministro Matteo Renzi adiar sua renúncia até a aprovação da lei orçamentária de 2017. As informações são da Agência ANSA.

Mattarella e Renzi se reuniram por aproximadamente meia hora no Palácio do Quirinale, sede da Presidência da República, em Roma. Segundo o presidente é preciso terminar o processo parlamentar para a aprovação da lei orçamentária.

Por isso, a fim de evitar os riscos de um governo provisório, solicitou que Renzi permaneça no cargo até a conclusão da votação. O orçamento da Itália para 2017 já foi aprovado pela Câmara, mas ainda precisa do aval do Senado, onde a base aliada possui uma maioria estreita.

O primeiro-ministro decidiu renunciar após a população rejeitar, por um placar de 60% a 40%, sua reforma constitucional no referendo do último domingo (4). Renzi apostou todo o seu capital político no projeto, que reduzia o tamanho do Senado e promovia uma série de mudanças na Constituição italiana.

Nesta segunda-feira, o premier reuniu seu gabinete no Palácio Chigi, também em Roma, e agradeceu a seus ministros pela colaboração e pelo espírito de equipe demonstrado nesses anos de governo. Em seguida, como manda o protocolo, se dirigiu ao Quirinale para entregar a carta de renúncia.

Nesses casos, a decisão final é sempre do presidente da República, que pode aceitar o pedido e iniciar consultas para formar um novo governo, dissolver o Parlamento e convocar eleições ou até mesmo manter o premier para um gabinete de objetivo definido, como a aprovação do orçamento.

Se essa lei não receber o aval do Congresso até o fim do ano, a Itália pode começar 2017 com suas finanças paralisadas, o que afetaria sua retomada econômica, que já é mais lenta do que o esperado.

A decisão de segurar Renzi no cargo, ainda que temporariamente, deve irritar parte da oposição, principalmente o antissistema Movimento 5 Estrelas (M5S) e a ultranacionalista Liga Norte, que pedem eleições imediatas.

 

Últimas Notícias

Brasil perdeu 7,2 milhões de linhas de celular no ano passado
Petrobras reduz em 3% GLP empresarial nas refinarias
Ministro do STJ nega pedido de prisão domiciliar a João de Deus
Escassez de chuvas leva governo a acionar termelétricas mais caras
Picciani, Paulo Melo e Albertassi serão julgados por Bretas
Suspensa permissão para deputada receber denúncias contra professores
MPT não descarta pedir bloqueio dos bens do Flamengo
Número de mortos identificados em Brumadinho chega a 151

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212