Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


25 de Mar de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 CCJ vota admissibilidade da PEC da Previdência semana que vem, diz presidente - Jornal Brasil em Folhas
CCJ vota admissibilidade da PEC da Previdência semana que vem, diz presidente


A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados vota na próxima semana a admissibilidade e constitucionalidade da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287/16, que trata da reforma do sistema previdenciário brasileiro. O presidente da comissão, Osmar Serraglio (PMDB-PR), disse que, embora não tenha convocado reunião do colegiado para segunda-feira (12), deverá fazê-lo, logo que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), convoque sessão extraordinária da Casa para a segunda-feira.

Mesmo com a expectativa de que o parecer do relator da PEC, Alceu Moreira (PMDB-RS), seja apresentado hoje (7) à CCJ, como ele já anunciou, a leitura do mesmo deverá ocorrer na segunda-feira (12). Serraglio informou que ainda não incluiu na pauta a votação do parecer de Moreira. Segundo ele, a expectativa é que a leitura seja em uma sessão da comissão em que haja quórum. No entanto, como o governo tem pressa na discussão e votação da reforma da Previdência, o parecer poderá ser lido na reunião de amanhã (8) da comissão.

Se o parecer for lido amanhã, a discussão e votação deverá ocorrer na segunda ou na terça-feira (13). Se não chegar a ser lido nesta quinta-feira, a leitura deverá ficar para o dia 12 e a votação deverá ocorrer na CCJ na quarta-feira (14), porque os partidos de oposição já anunciaram que vão pedir vista do relatório de Moreira. Pelo Regimento Interno da Câmara, o pedido de vista tem duração de dois dias.

Parecer

Na manhã de hoje, o presidente da CCJ designou Alceu Moreira como relator da PEC na comissão. Moreira já disse que seu parecer está pronto e que é favorável à admissibilidade e constitucionalidade da proposta de reforma da Previdência.

A pressa de Moreira de fazer o seu parecer pouco depois de ser designado relator foi justificada com o argumento de que o colegiado só analisará neste momento a admissibilidade e que a discussão sobre o mérito da proposta será feita na comissão especial a ser criada após a aprovação na CCJ. “Essa etapa só trata da admissibilidade, não se trabalha o mérito. Depois vamos para o recesso com o projeto disponível para que toda a sociedade possa, durante esse período, fazer o debate da proposta, para se votar no ano que vem”, justificou.

Plebiscito

O deputado Silvio Costa (PTdoB-PE) criticou a rapidez na aprovação da proposta na CCJ. Segundo Costa, não justifica a pressa do governo em votar uma proposta que mexe com a vida de quase 100 milhões de brasileiros sem que haja um grande debate envolvendo toda a sociedade.

Na tarde desta quarta-feira, Costa começou a colher assinaturas de deputados para apresentar à Câmara um projeto que prevê a realização de plebiscito, em abril do ano que vem, para verificar se a população aceita ou não essa reforma do sistema previdenciário. Segundo ele, falta diálogo com a opinião pública sobre a reforma. “Essa proposta [de reforma da Previdência] é importante para o país, mas ela precisa ser tratada de forma séria, e o governo está acuado e não tem coragem de tratar essa proposta da forma como ela deve ser.”

Para o vice-líder da minoria, Henrique Fontana (PT-RS), a PEC é injusta porque mexe diretamente com os mais pobres e com a previdência rural. “É uma proposta extremamente injusta, porque o objetivo de melhorar a Previdência é de todos nós, e o governo, que não tem a legitimidade dos votos, apresenta um projeto que sobrecarrega os mais pobres, que praticamente acaba com a previdência rural, não diferencia os que começam a trabalhar mais cedo, daqueles que começam a trabalhar mais tarde”, disse. “Os sistemas que somam idade e tempo de contribuição são mais justos do que os sistemas que trabalham com a ideia de idade mínima”.

 

Últimas Notícias

Jovens têm menos chance de contratação e mais de serem demitidos
Bolsa cai e dólar fecha em R$ 3,80
Araújo: dispensa de status especial na OMC nos coloca como país grande
Países sul-americanos devem sair de uma só vez da Unasul, diz ministro
Chanceler descarta emprego das Forças Armadas na Venezuela
Moçambique, Zimbábue e Malauí tentam identificar vítimas de ciclone
Nova Zelândia quer proibir, em abril, venda de armas do tipo militar
Conselho Europeu aceita prorrogar saída do Reino Unido para maio

MAIS NOTICIAS

 

Copom inicia reunião nesta terça para definir taxa básica de juros
 
 
Mercado reduz projeção de crescimento da economia de 2,28% para 2,01%
 
 
Atividade econômica tem queda de 0,41% em janeiro, diz BC
 
 
Governo lança edital de estudos para concessão de 22 aeroportos
 
 
Governo do Rio anuncia rompimento da concessão do Maracanã
 
 
Conflitos e segurança poderão contar pontos na avaliação de escolas

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212