Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


17 de Jan de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Operação no Maranhão investiga desvio de recursos do Fundeb - Jornal Brasil em Folhas
Operação no Maranhão investiga desvio de recursos do Fundeb


A Operação Cooperari, realizada pelo Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da União (CGU), pela Polícia Civil e pelo Ministério Público do Maranhão (MP-MA), cumpre 14 mandados de busca e apreensão hoje (13) em residências e empresas nos municípios maranhenses de São José de Ribamar, São Luis e Paço do Lumiar, no Maranhão.

A ação visa desarticular organização criminosa que desviava recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) e de outras fontes, de prefeituras municipais maranhenses, por meio da contratação de cooperativas.

O Fundeb é formado, na quase totalidade, por recursos provenientes dos impostos e transferências vinculados à educação. Além desses recursos locais, ainda compõe o Fundeb, a título de complementação, uma parcela de recursos federais.

Ao todo, foram bloqueadas contas de 15 pessoas físicas e jurídicas, além de oito imóveis e 11 veículos dos envolvidos, segundo comunicado divulgado pela CGU. .

A investigação

A apuração do caso teve início após o MP-MA verificar que a Cooperativa Maranhense de Trabalho (Coopmar) aparecia como principal contratada para a execução de serviços de transporte, limpeza, vigilância e outros serviços gerais em prefeituras de municípios do estado.

Foram constatadas irregularidades, como o indício de montagem de licitação; subdimensionamento de valor a ser pago por profissional para afastar interessados e direcionar o objeto da contratação; admissibilidade inapropriada de participação de cooperativa; superdimensionamento da quantidade de profissionais terceirizados; ausência de publicação da convocação; e termo de referência incompleto, ambíguo e impreciso.

Segundo a CGU, a investigação também apurou que alguns cooperados dirigentes receberam, diretamente ou por meio de suas empresas, cifras milionárias, enquanto a maioria dos trabalhadores recebia um salário mínimo mensal. Durante as investigações foi possível recuperar mais de R$ 3 milhões em contribuições previdenciárias que haviam sido retidas dos trabalhadores, mas não eram declaradas nem recolhidas aos cofres da Previdência Social.

 

Últimas Notícias

John Forman recusa cargo no Conselho de Administração da Petrobras
Em visita oficial, Macri é recebido no Planalto por Bolsonaro
Mercado financeiro prevê inflação em 4,02% neste ano
Consultas de CPFs para vendas a prazo no comércio crescem 2,8%
Produção de bicicletas aumenta 15,9% no Brasil
Receita abre consulta a restituição do Imposto de Renda de 2008 a 2018
Ex-comandante da Marinha é indicado para o conselho da Petrobras
Inflação para idosos fecha 2018 em 4,75%, informa FGV

MAIS NOTICIAS

 

ANP aprova credenciamento de empresa certificadora
 
 
Política de combate à inflação foi bem-sucedida, diz presidente do BC
 
 
Marcos Pontes: fusão de Embraer e Boeing preserva interesses do país
 
 
Número de linhas de celular tem maior queda do ano em novembro
 
 
ANP: Petrobras pede prazo maior para definir quais campos vai explorar
 
 
Ex-presidente do Banco Central defende política econômica do governo

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212