Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


17 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 “Ninguém é imbatível”, afirmou Vanderlan Cardoso - Jornal Brasil em Folhas
“Ninguém é imbatível”, afirmou Vanderlan Cardoso


Em silêncio desde o resultado do segundo turno das eleições municipais deste ano, em que o candidato do PMDB, Íris Rezende, saiu vitorioso, Vanderlan Cardoso (PSB) participou do programa Falando Francamente, da Rádio Clube FM, nesta terça-feira (20). O presidente metropolitano do PSB disse que não fará oposição ferrenha ao prefeito eleito, mas avisou que, assim como o restante da população de Goiânia, vai acompanhar e cobrar o cumprimento das promessas feitas durante a campanha eleitoral. O Empresário falou, ainda, que não existe candidato imbatível, e que chegou empatado até os últimos dias da eleição, e que tudo se decidiu “nos 45 minutos do segundo tempo”. Segundo Vanderlan, tudo depende do cenário político do momento.
Vanderlan criticou o fato de Íris Rezende reclamar, em todas as vezes que fala com a imprensa, da situação complicada em que se encontra a prefeitura de Goiânia. O pessebista afirma que o cacique do PMDB deveria saber das condições da prefeitura quando colocou seu nome para disputar o Paço Municipal, e que reclamar agora é desculpa para não cumprir promessas de campanha.
O empresário disse, ainda, que levará boas lições desta disputa, tanto para a vida empresarial como para a vida política. Segundo contou, teve boas surpresas durante o processo eleitoral deste ano. “Nessas eleições eu tive muitas surpresas agradáveis. Muitas pessoas que eu não conhecia ou que não tinha tido oportunidade de trabalhar em uma eleição, tive agora e foi muito prazeroso, e algumas dessas pessoas me surpreenderam. Vi ali muitos deputados conosco, caminhando, pedindo votos. Pessoas que eu menos esperava estavam conosco, garrada. Então pra mim foi gratificante. Em cada eleição você vai aprendendo e ganhando mais amigos”, comentou.
Fazendo um retrospecto da campanha, Vanderlan explicou que nada tem a reclamar do trabalho que foi realizado e encara como positivo a evolução e aceitação do seu nome pelo eleitorado goianiense. “Começamos uma eleição onde eu era o terceiro (colocado). Comecei com 13 pontos, fomos para o segundo turno com uma diferença de só 8 pontos para o primeiro colocado, e no segundo turno tivemos quase 300 mil votos, com uma abstenção altíssima, de quase 240 mil votos. Onde eu fui, em Goiânia, fui muito bem recebido, até na região noroeste, onde o prefeito eleito é muito querido, e nós fomos muito bem recebido lá. Então não tenho o que reclamar”, explicou.

Campanha mais curta

Vanderlan Cardoso comentou as mudanças aplicadas nas eleições deste ano que, dentre outras mudanças, reduziu tempo da propaganda na TV e Rádio, proibiu doação de empresas e diminuiu o período eleitoral. Segundo afirmou, as mudanças foram boas e tiveram um reflexo positivo na eleição.
“Essa campanha foi mais curta sim, mas nos deu a oportunidade, que não tive em outras eleições, de fazer uma pré-campanha. Foi quase um ano percorrendo Goiânia, fazendo várias reuniões, e quando chegou às eleições estávamos bem preparados, conhecendo bem os problemas e as necessidades do goianiense”, pontuou.
Falando sobre a proibição de empresas doarem para campanhas eleitorais, o candidato do PSB explicou que isso dificultou um pouco sua eleição, pois não foi possível receber o apoio nem mesmo das suas próprias empresas. “Com relação ao financiamento, no meu caso, não deixou de prejudicar por que, geralmente, quem financia as minhas campanhas são as nossas próprias empresas. Então, se as empresas não puderam doar, foi uma campanha bem apertadinha financeiramente”, contou.

Futuro do PSB

O PSB se tornou uma força política importante em Goiás e, para manter isso, Vanderlan defende que é preciso sempre ter bons nomes disputando as eleições, seja em nível municipal ou estadual. Ele explica que a chegada da senadora Lúcia Vânia, e de vários deputados estaduais, tornou o partido grande, mas que é preciso crescer ainda mais.
“Um partido e um político só crescem se disputar eleições. O PSB tem uma senadora respeitada, que é a senadora Lúcia Vânia. Temos deputados estaduais, com bons nomes para disputar até a Câmara Federal e na próxima eleição vamos trabalhar isso, para ver se a gente faz pelo menos dois deputados federais. E a senadora é um bom nome para o Governo de Goiás. Está muito longe ainda e haverá muitas discussões, mas ela não deixa de ser um bom nome”, destaca.

 

Últimas Notícias

Governadores pedem ao STF julgamento de processos sobre repasses
Ministro quer atrair investimentos privados para Jardim Botânico do RJ
Fies vai oferecer 100 mil vagas a juro zero para alunos de baixa renda
TJ libera R$ 13 milhões para Vale ressarcir gastos do governo mineiro
Vale pede mais tempo para analisar Termo de Ajuste Preliminar
Deputados do Rio presos podem ter posses suspensas
Vale suspende operação em barragem em Brucutu e de mina em Brumadinho
TRE-RJ mantém ex-deputado Paulo Melo inelegível até 2024

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212