Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


14 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Coreia do Sul: partido do governo enfrenta divisão após impeachment - Jornal Brasil em Folhas
Coreia do Sul: partido do governo enfrenta divisão após impeachment


O partido que governa a Coreia do Sul enfrenta uma forte divisão após a destituição da presidente Park Geun-Hye, que abriu uma crise interna que afeta seriamente as possibilidades eleitorais da formação.

Mais de 30 parlamentares do partido Saenuri hostis a Park prometeram abandonar a organização, com a denúncia de que a direção se recusa a implementar reformas, apesar da crise política provocada pelo impeachment da presidente em 9 de dezembro.

Chegamos à conclusão de que uma reforma conservadora através do partido Saenuri é impossível, disse à imprensa Yoo Seung-Min, um parlamentar que integra o grupo dissidente.

Esta divisão complica o panorama para uma possível candidatura do atual secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moon, que é considerado um bom candidato para o partido de centro-direita.

Yoo Seung-Min afirmou que 35 congressistas concordaram em deixar o partido no dia 27 de dezembro e que tentarão convencer outros parlamentares.

Caso a ruptura seja concretizada, o partido governante ficaria com 90 representantes de um total de 300 na Assembleia, o que o deixaria como segunda força no Parlamento, atrás do Partido Liberal Democrático.

O grupo de dissidentes se uniu à oposição para tramitar a moção de destituição da presidente Park, afastada do cargo por um escândalo de corrupção que envolvia sua melhor amiga, Choi Soo-sil, acusada de ter usado sua influência para enriquecer e manipular decisões políticas.

Agora, o destino de Park está nas mãos da Corte Constitucional, que tem prazo máximo de 180 dias para um pronunciamento sobre a destituição. Se o impeachment for confirmado, novas eleições devem ser convocadas em um prazo de 60 dias.

Neste cenário, a crise do Saenuri reduz as possibilidades do partido de vencer as eleições.

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212