Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


17 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Comércio do Rio perderá mais de R$ 7 bi com feriados em 2017, dizem lojistas - Jornal Brasil em Folhas
Comércio do Rio perderá mais de R$ 7 bi com feriados em 2017, dizem lojistas


O excesso de feriados ao longo deste ano poderá levar o comércio varejista do município do Rio de Janeiro a perder R$ 7,5 bilhões em 2017. A estimativa é do Clube de Diretores Lojistas do Rio de Janeiro (CDLRio).

Ao longo do ano, serão nove feriados nacionais, três estaduais, dois municipais e dois pontos facultativos – Cinzas e Corpus Cristi – que, na avaliação da CDLRio, implicarão em mais 12 dias úteis, com possibilidade de prolongamento – o chamado “enforcamento”.

Análise do Centro de Estudos do CDLRio, com base nos dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), corrigidos para 2017, indicam que cada dia parado representa uma perda média de cerca de R$ 405 milhões.

Ao longo do ano, o comércio terá 29 dias de movimento prejudicado, sendo que novembro será o mês com mais feriados: Finados, Proclamação da República e da Consciência Negra.

A estimativa é baseada em dados do IBGE e corrigida para 2017. Na avaliação do presidente do CDLRio, Aldo Gonçalves, os feriados do ano e seus possíveis prolongamentos vão penalizar os lojistas, principalmente as lojas de rua que são as que mais sofrem, e, especialmente, o centro da cidade que fica completamente deserto.

Com os chamados “enforcamentos” há a possibilidade do cidadão folgar treze dias, incluíndo os sábados, considerado pelo varejo o melhor dia de vendas da semana.

“Não há dúvida que este excessivo número de dias parados prejudicará o comércio. São quase 30 dias (um mês) de vendas depreciadas. Não são apenas os empresários lojistas que perdem com isso. Perdem o governo, que deixa de arrecadar impostos, os comerciários, que deixarão de vender e, também, o próprio consumidor, que não pode comprar”, disse Gonçalves.

No caso dos comerciários, o estudo diz que eles podem perder até um salário no ano. “É um verdadeiro 14º jogado fora. Não somos contra os feriados em datas comemorativas – e até mesmo, quando possível, o adiamento deles. Mas somos a favor de que a sociedade civil organizada, empresários, líderes de classe e autoridades se sentem à mesa para discutir outras soluções que evitem tamanho desperdício”, afirmou o presidente do CDLRio.

Em contrapartida, ainda segundo o CDLRio, hotelaria, bares e restaurantes e serviços ligados ao turismo são os mais beneficiados com os feriados e alguns shoppings centers, devido a maior presença de turistas.

 

Últimas Notícias

Governadores pedem ao STF julgamento de processos sobre repasses
Ministro quer atrair investimentos privados para Jardim Botânico do RJ
Fies vai oferecer 100 mil vagas a juro zero para alunos de baixa renda
TJ libera R$ 13 milhões para Vale ressarcir gastos do governo mineiro
Vale pede mais tempo para analisar Termo de Ajuste Preliminar
Deputados do Rio presos podem ter posses suspensas
Vale suspende operação em barragem em Brucutu e de mina em Brumadinho
TRE-RJ mantém ex-deputado Paulo Melo inelegível até 2024

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212