Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


23 de Mar de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Conta-petróleo tem primeiro superávit da história, de US$ 410 milhões - Jornal Brasil em Folhas
Conta-petróleo tem primeiro superávit da história, de US$ 410 milhões


A conta-petróleo, que registra as exportações e importações brasileiras de petróleo e derivados, encerrou 2016 com saldo positivo de US$ 410 milhões. É o primeiro superávit da história da conta, tradicionalmente deficitária. O resultado foi divulgado hoje (2), junto aos dados da balança comercial, que registrou um superávit recorde de US$ 47,69 bilhões no ano passado.

O déficit na conta-petróleo ocorria historicamente porque o Brasil importa mais do que exporta petróleo para o resto do mundo. Segundo dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, o déficit médio registrado desde 1997 está na casa dos US$ 5 bilhões por ano.

O ponto fora da curva em 2016 tem relação com três fatores: redução na cotação internacional do petróleo, queda nas importações em função da redução no consumo causada pela crise e aumento na quantidade produzida para exportação. “A conclusão é que o superávit de 2016 é conjuntural e não estrutural”, explica Abrão Neto, secretário de Comércio Exterior do ministério.

Neto lembra que nos anos de 2013 e 2014 também ocorreram distorções na conta-petróleo causadas por fatores conjunturais, com a diferença de que acarretaram déficits recordes em vez de superávit. Em 2013, a conta teve saldo negativo de US$ 20,39 bilhões e, em 2014, de US$ 16,97 bilhões.

“Esses déficits têm explicação quase igual à do superávit, mas com sinal trocado. Na ocasião, nós tivemos cotação do preço do petróleo muito elevada. Houve aumento da importação brasileira com as termelétricas e a frota [de veículos] atingindo número recorde. Também tivemos redução das exportações, com menor produção em razão da parada programada para a manutenção das plataformas”, explicou.

Segundo dados do ministério, o preço do petróleo bruto registrou queda de 14,8% em 2016 na comparação com 2015. A commodity ensaiou uma recuperação no segundo semestre do ano passado, que deve continuar em 2017, segundo as principais projeções para o setor.

 

Últimas Notícias

Jovens têm menos chance de contratação e mais de serem demitidos
Bolsa cai e dólar fecha em R$ 3,80
Araújo: dispensa de status especial na OMC nos coloca como país grande
Países sul-americanos devem sair de uma só vez da Unasul, diz ministro
Chanceler descarta emprego das Forças Armadas na Venezuela
Moçambique, Zimbábue e Malauí tentam identificar vítimas de ciclone
Nova Zelândia quer proibir, em abril, venda de armas do tipo militar
Conselho Europeu aceita prorrogar saída do Reino Unido para maio

MAIS NOTICIAS

 

Copom inicia reunião nesta terça para definir taxa básica de juros
 
 
Mercado reduz projeção de crescimento da economia de 2,28% para 2,01%
 
 
Atividade econômica tem queda de 0,41% em janeiro, diz BC
 
 
Governo lança edital de estudos para concessão de 22 aeroportos
 
 
Governo do Rio anuncia rompimento da concessão do Maracanã
 
 
Conflitos e segurança poderão contar pontos na avaliação de escolas

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212