Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


14 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Alckmin diz não precisar de notificação para recorrer de liminar contra aumento - Jornal Brasil em Folhas
Alckmin diz não precisar de notificação para recorrer de liminar contra aumento


O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, disse hoje (10), na capital paulista, que não é preciso que o governo seja notificado para recorrer da liminar do juiz Paulo de Oliveira Filho, concedida na semana passada, que suspendeu o aumento de tarifas de integração entre ônibus e trilhos. Entretanto ele diz que para baixar o preço da tarifa conforme determina a liminar, é preciso que o governo receba a notificação.

“Para recorrer [da liminar], tendo notícia, não tem problema. Mas você só pode suspender [o reajuste] se tiver a notificação. Você precisa ser notificado para cumprir. Eu passei dia inteiro aqui e não recebi a notificação. Nós estamos confiantes de que essa medida judicial é totalmente descabida e vai ser revertida no poder judiciário”, afirmou o governador.

De acordo com Tribunal de Justiça de São Paulo, o governo recorreu ontem (9) da liminar, e o reajuste continua em vigor desde o domingo (8) na região metropolitana de São Paulo. A integração foi reajustada de R$ 5,92 para R$ 6,80. Também passou a ser cobrada uma taxa de integração nos terminais metropolitanos, que varia de R$ 1 a R$ 1,65. Os passageiros que ainda têm saldo nos cartões pagam o valor antigo, mas quem comprou bilhetes a partir de ontem já pagou o novo preço.

Segundo Alckmin, não foi feito o reajuste da principal tarifa, a do bilhete de R$ 3,80, sobre o qual incide a maior inflação. Ele explicou que não reajustar esse valor é benéfico para um maior número de pessoas: mais de 50% dos passageiros do metrô, 62% da Companhia de Trens Metropolitanos (CPTM) e 66% do ônibus.

“Fizemos [o reajuste] só na integração, onde ainda há um estímulo [subsídio] de 11%, sendo o valor da tarifa R$ 6,80. Mantivemos todas as gratuidades para mais de um milhão de pessoas. Isso foi muito bem pensado e estruturado para beneficiar o maior número de pessoas que precisam e para manter a saúde financeira das empresas”.

Em São Paulo, a administração do serviço de ônibus cabe à prefeitura. Já o Metrô e a CPTM são ligados ao governo estadual.

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212