Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


21 de Jan de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Cortes de despesas serão analisados com lupa pelo governo - Jornal Brasil em Folhas
Cortes de despesas serão analisados com lupa pelo governo


O governador Marconi Perillo teve nesta segunda-feira, dia 16, a primeira reunião do ano com a equipe econômica do governo para traçar o planejamento e o orçamento de 2017, principalmente os cortes de despesas e a execução do Programa de Austeridade pelo Crescimento do Estado de Goiás. Marconi se reuniu no Palácio das Esmeraldas, em Goiânia, com o secretário da Fazenda, Fernando Navarrete; secretário de Gestão e Planejamento, Joaquim Mesquita, e auxiliares da equipe econômica.

“Estamos analisando com lupa tudo o que podemos cortar de despesas, o que são despesas essenciais, e como é que vamos nos comportar enquanto governo, para que no exercício de 2017 nós não tenhamos qualquer tipo de susto, por conta da crise econômica e dos problemas que são de outros matizes”, afirmou Marconi, em entrevista à imprensa.

O governador afirmou ainda que faria durante toda a tarde uma avaliação global com sua equipe, de todo o exercício de 2016, incluindo os restos a pagar e os avanços obtidos ao longo do ano, em razão do ajuste fiscal que teve início no final de 2014.

Orçamento
“Fazemos agora um rigoroso planejamento para a execução do orçamento deste ano de 2017. Nosso objetivo é perseguirmos cada vez mais uma sustentabilidade do compasso das nossas finanças, e também no ajuste fiscal. Nós conseguimos cumprir o ajuste fiscal acima da média dos outros estados em 2016; já tínhamos tido êxito em 2015, e agora nosso objetivo é melhorar ainda mais a nossa posição em 2017, com recursos para investimentos em obras estratégicas”, disse, lembrando que o governo utilizará recursos da privatização da Celg em obras prioritárias na infraestrutura e também nas áreas de Saúde, Segurança Pública, Habitação e Educação, fundamentalmente. “Mas a prioridade é concluir obras importantes nessas áreas”, pontuou.

Marconi afirmou ainda que a estimativa é de que o orçamento para este ano não seja muito diferente do de 2016, porque não há previsão de crescimento significativo do Produto Interno Bruto (PIB). Se houver crescimento, conforme sublinhou, será de 0,5%. Ele informou que o orçamento previsto gira em torno de R$ 25 bilhões.

“Agora, avaliando as receitas a menos que nós vamos ter por conta da Celg, por exemplo, por conta da diminuição da tarifa, avaliando devoluções que nós vamos ter que fazer por conta de adiantamentos do Produzir; e considerando adicionais e receitas que teremos, a previsão é que tenhamos uma receita nominal de aproximadamente 4% positiva. Ou seja, é uma receita abaixo da inflação. Não teremos por enquanto um aumento de receita real. Teremos um aumento nominal de 4%, e isso é pouco! Por isso é que estamos debruçados para ver onde vamos conseguir recursos para as despesas que estão previstas no orçamento para 2017”, ressaltou.

 

Últimas Notícias

Inep divulga resultado do Enem
Frédéric Lamotte é o novo diretor geral da CA Indosuez Wealth (Miami) e responsável Global da região das Américas
A ACIRLAG chega para impulsionar o setor econômico da região Leste de Aparecida
Inep divulga notas do Enem na sexta-feira
Bolsonaro sanciona Lei do Orçamento 2019 de mais de R$ 3,3 trilhões
Parlamento venezuelano aprova acordo para entrada de ajuda humanitária
Imigrantes hondurenhos sofrem com obstáculos para passagem de caravana
Militares vão atuar de forma mais intensa no Programa Mais Médicos

MAIS NOTICIAS

 

ANP aprova credenciamento de empresa certificadora
 
 
Política de combate à inflação foi bem-sucedida, diz presidente do BC
 
 
Marcos Pontes: fusão de Embraer e Boeing preserva interesses do país
 
 
Número de linhas de celular tem maior queda do ano em novembro
 
 
ANP: Petrobras pede prazo maior para definir quais campos vai explorar
 
 
Ex-presidente do Banco Central defende política econômica do governo

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212