Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


16 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Presidente da Toshiba renunciará por deterioração multimilionária de ativos - Jornal Brasil em Folhas
Presidente da Toshiba renunciará por deterioração multimilionária de ativos


O presidente da Toshiba, Shigenori Shiga, renunciará em breve, assim como a empresa japonesa deixará a construção de usinas nucleares por causa de uma deterioração de ativos multimilionária, informaram neste sábado veículos de comunicação locais.

Shiga, o principal responsável da Toshiba, foi em um dado momento presidente da Westinghouse Electric, unidade de negócio de energia nuclear da Toshiba nos Estados Unidos que enfrenta uma perda considerável após a compra do construtor americano de usinas nucleares CB&I Stone & Webster.

Sua decisão pode ser anunciada no próximo dia 14 de fevereiro, data na qual a empresa apresentará os resultados correspondentes aos nove primeiros meses do ano fiscal (que no Japão termina em 31 de março), afirmou ao jornal Nikkei uma fonte próxima, que mencionou também a renúncia do presidente da Westinghouse, Danny Roderick.

Além disso, a Toshiba deixará de aceitar contratos para construir novas usinas atômicas (embora siga construindo as quatro que deve terminar nos EUA até 2020) e continuará apenas com suas operações de manutenção e desmantelamento de instalações nucleares, anteciparam outras fontes à agência Kyodo.

Shiga, presidente desde junho do ano passado após o expurgo da antiga direção da Toshiba que orquestrou uma trama de manipulação contábil revelada há dois anos, estava a cargo do braço de negócio de energia elétrica quando a Westinghouse comprou a CB&I Stone & Webster no final de 2015.

Em dezembro do ano passado a companhia japonesa informou que poderia sofrer uma deterioração multimilionária de ativos relacionada com esta operação.

Atualmente a Toshiba mantém um litígio com a Chicago Bridge & Iron, de quem adquiriu a empresa em dezembro de 2015, por conta de suas taxações dos ativos e negócios da construtora de usinas atômicas.

Ontem mesmo a gigante tecnológica japonesa anunciou que revisaria suas operações no setor nuclear e que cindirá seu negócio de memórias flash para encontrar financiamento de terceiros e sanear esta situação.

 

Últimas Notícias

Governadores pedem ao STF julgamento de processos sobre repasses
Ministro quer atrair investimentos privados para Jardim Botânico do RJ
Fies vai oferecer 100 mil vagas a juro zero para alunos de baixa renda
TJ libera R$ 13 milhões para Vale ressarcir gastos do governo mineiro
Vale pede mais tempo para analisar Termo de Ajuste Preliminar
Deputados do Rio presos podem ter posses suspensas
Vale suspende operação em barragem em Brucutu e de mina em Brumadinho
TRE-RJ mantém ex-deputado Paulo Melo inelegível até 2024

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212