Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


14 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Blocos de carnaval do Rio que promovem a diversidade correm em busca de recursos - Jornal Brasil em Folhas
Blocos de carnaval do Rio que promovem a diversidade correm em busca de recursos


Importantes para a promoção da diversidade, os blocos de carnaval do Rio de Janeiro correm para buscarem patrocínio. Financiamentos coletivos, negociação de descontos e parcerias com o setor privado são usados para captarem recursos e promoverem a inclusão.

No seu 13º desfile, o Ponto de Cultura Coletivo Carnavalesco Tá Pirando, Pirado, Pirou!, conhecido como Bloco do Pinel, presta homenagem este ano ao criador do Teatro do Oprimido, Augusto Boal. O apelido é uma referência ao Instituto Municipal Philippe Pinel, de psiquiatria, que funciona no bairro da Urca, zona sul do Rio.

O enredo foi sugerido pela esposa de um paciente que se trata no Instituto de Psiquiatria da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Ipub-UFRJ) e se chama “Meu caro amigo Augusto Boal, o arco-íris do desejo vai brilhar no carnaval!”. “Boal desfilava no nosso bloco e nos ajudava cedendo o espaço do Centro do Teatro do Oprimido para os nossos eventos”, disse o coordenador geral do bloco, o psicanalista Alexandre Ribeiro Wanderley.

O samba-enredo vencedor do concurso deste ano foi composto por Messias do Horizonte, funcionário do Centro de Atenção Psicossocial Franco Basaglia, e Enéas Elpídeo, coordenador da Oficina de Composição Musical e Registro Fonográfico do bloco, que também faz tratamento psiquiátrico nessa unidade.

O desfile será no dia 19, na Avenida Pasteur, na Urca, pela manhã. Como perderam este ano o patrocínio da Petrobras, os organizadores lançaram uma campanha de financiamento coletivo pela internet, para conseguirem contratar um caminhão de som. A comissão de frente está sendo ensaiada pelo Instituto Augusto Boal e pelo grupo Pirei na Cenna, que trabalha com usuários de saúde mental utilizando técnicas do Teatro do Oprimido.

Animais

Para mostrar que a inclusão não se restringe só aos humanos, uma festa especial reunirá no próximo domingo (12), na Praça Saens Peña, na Tijuca, zona norte carioca, animais e humanos no evento Carnavacão, patrocinado por uma empresa de medicamentos veterinários. A festa terá bloco carnavalesco, além de petiscos e bebidas para animais e pessoas.

No outro lado da cidade, no ParCão da Lagoa, na Lagoa Rodrigo de Freitas, zona sul, os desfiles de carnaval são organizados por raças definidas. A área, que pertence à administração municipal carioca, foi adotada em 2013 pelo adestrador de animais Janildo Santana, dentro do programa de adoção de áreas verdes da prefeitura. No dia 12, a festa reúne cães da raça Dachshund, conhecidos também como salsicha ou linguicinha.

No sábado (18), Santana pretende fazer um bailinho de carnaval, aberto a várias raças. Já no domingo (19), será a vez dos cães labradores dominarem a folia carnavalesca, pela manhã, e os dálmatas, à tarde. E um detalhe, todos devem ir fantasiados. Santana recomenda apenas aos donos dos animais de estimação que não coloquem fantasias pesadas nos bichos devido ao calor.

Gargalhada

O carnaval da inclusão 2017 será desfalcado de um bloco tradicional, o Gargalhada, que sai na Avenida 28 de Setembro, em Vila Isabel, zona norte do Rio, e prega a diversidade. “Este ano, [o bloco] não vai sair. Está muito difícil, o carnaval está muito caro. Um carro de som é uma fortuna, a banda de músicos também”, disse a fundadora do bloco, Yolanda Braconnot.

Pioneiro em termos de inclusão de pessoas consideradas diferentes ou especiais, o Gargalhada completa 13 anos de vida. Com o slogan “Se quiser chegar, é só gargalhar”, a agremiação tem duas porta-bandeiras, uma com Síndrome de Down e outra da terceira idade, além das madrinhas “gargalhetes”. Uma delas é o filho de Yolanda, Leonardo, deficiente auditivo, que desfila como a drag queen Kitana McNew.

A princípio, os componentes do Gargalhada participarão apenas do baile de carnaval no Clube Vila Isabel, no mesmo bairro, mas Yolanda Braconnot ainda não perdeu as esperanças finais de ter o desfile. “Estou fazendo as últimas tentativas”, explicou.

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212