Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


19 de Sep de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Frevo comemora 110 anos com festa e agremiações tradicionais pedem apoio - Jornal Brasil em Folhas
Frevo comemora 110 anos com festa e agremiações tradicionais pedem apoio


No aniversário de 110 anos do frevo, celebrado hoje (9), realidades distintas comemoram a data na capital pernambucana. O Paço do Frevo, espaço cultural da prefeitura do Recife criado há três anos, recebeu o reconhecimento de Centro de Referência do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), com a presença de autoridades locais e do ministro da Cultura, Roberto Freire. Ao mesmo tempo, mestres de agremiações tradicionais relatam dificuldades financeiras para seguir em atividade.

Funcionando em um prédio histórico localizado no Bairro do Recife, o Paço tem design arrojado para contar a trajetória e simbolismos do frevo de forma interativa e multisensorial. O local abriga ainda atividades semanais como o ensino da dança e da música do frevo – manifestação cultural considerada patrimônio imateral da humanidade desde 2012.

“O Iphan, quando registra um patrimônio imaterial, tem que fazer a salvaguarda. Hoje, o Paço do Frevo é o centro de referência onde se faz a salvaguarda do frevo, cumprindo o que a legislação determina, que é fazer garantir a continuidade dessa manifestação cultural”, disse a presidente do Iphan, Kátia Bogéa. “Pela sua beleza, força, e todos os aspectos dele, a coreografia, a musicalidade, a ligação com outros elementos culturais, o frevo é uma caracterísitica forte do povo brasileiro”, disse durante a cerimônia.

Passistas que frequentam o Paço se apresentaram unindo passos clássicos, como dobradiça, tesoura e parafuso, em uma leitura contemporânea da dança. O funcionário público José Ferreira da Silva Irmão, o Ferreirinha, “passista de frevo de rua”, como se denomina, diz que há espaço para o moderno e o tradicional. “Tanto um como o outro, eu faço e brinco, e invento e reinvento. Estamos carregados pela tradição, o gênio da espécie é a tradição. A partir dela, tem de tudo. E o mundo se transforma - como o frevo, como eu a cada dia e como nós. O importante é a nossa preservação identitária.” Orquestras de alunos tocaram composições clássicas e também próprias.

O espaço cultural é gerido pelo Instituto de Desenvolvimento e Gestão (IDG), organização social sem fins lucrativos, que também é responsável pelo Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro. Para o diretor-executivo do instituto, Ricardo Piquet, o certificado é um reconhecimento importante desse trabalho feito ao longo desses três anos, onde tínhamos como proposta essencial levar o frevo durante o ano inteiro”, afirmou. Anualmente, mais de 100 mil pessoas visitam o espaço.

Dinheiro só no carnaval

Enquanto o Paço do Frevo ganha cada vez mais reconhecimento, a realidade de algumas agremiações tradicionais do gênero é difícil, segundo conta Lindivaldo Oliveira Leite, o Vavá do Banhistas, 82 anos. Ele participou da comemoração hoje, mas disse sentir um misto de felicidade e tristeza. Presidente do Banhistas do Pina, agremiação três anos mais velha do que ele próprio, fundada por sua mãe, Vavá disse que falta apoio para a sobrevivência desses grupos.

“Graças a Deus ainda tem a imagem do frevo aqui. Eu agradeço, primeiramente a Deus, por estar aqui até hoje, vendo essa festa toda, e espero que de hoje em diante os dirigentes olhem com carinho para os mestres que trabalham com muito amor e sem dinheiro”, afirmou. Segundo Vavá, o grupo Banhistas se mantém com ajuda financeira da comunidade. O único recurso público recebido é o cachê da festa carnavalesca. “Vamos desfilar no carnaval e a prefeitura pagou o cachê, então não é uma ajuda, é um serviço. O que eles dão não dá nem para a orquestra, R$ 5 mil e depois mais R$ 5 mil”, argumentou.

Outro símbolo do carnaval pernambucano, o Clube Carnavalesco Misto Vassourinhas, fundado em 1889, também enfrenta dificuldades. Mais antigo do que o próprio ritmo, está com a sede desativada desde 2014, e agora colocou o imóvel à venda. O hino da agremiação, criado em 1909 por Matias da Rocha e Joana Batista, virou o frevo mais tocado do carnaval.

A prefeitura do Recife informou, em nota, que as agremiações carnavalescas da cidadereceberam um aumento de 20% no valor do apoio financeiro, desde 2014, para a realização dos desfiles. “Este apoio varia de acordo com o tamanho e tipo da agremiação e a que grupo ela faz parte (Grupo Especial, de Acesso, etc). Em 2017, já foi iniciado o pagamento do apoio financeiro às 314 Agremiações Carnavalescas participantes do carnaval”, diz a nota da prefeitura. No total, foram repassados cerca de R$ 1,4 milhão correspondente à primeira parcela. A segunda parcela, segundo a prefeitura, será paga depois do carnaval, mediante a prestação de contas.

Dia do Frevo

O Dia do Frevo, como é conhecida popularmente a data, faz referência à primeira vez que o nome frevo foi utilizado para se referir a essa manifestação cultural em um jornal da época, há 110 anos. Outra data, instituída em 2009, também comemora oficialmente o ritmo: o Dia Nacional do Frevo, em 14 de setembro.

 

Últimas Notícias

Centro está preparado para lançamento de foguete após acidente
Cidades brasileiras integram programa de preservação de florestas
MP denuncia ex-marido de corretora assassinada no Rio
Bolsonaro segue estável e internado no Hospital Albert Einstein
Goiás entra para a elite dos Estados mais competitivos do País
Petrobras eleva gasolina em 2 centavos; diesel permanece inalterado
MME faz consulta sobre planejamento da transmissão de energia elétrica
Inadimplência do consumidor subiu 3,63% em agosto

MAIS NOTICIAS

 

Toffoli toma posse hoje na presidência do STF
 
 
Chanceler do Paraguai visita Brasil para negociar construção de pontes
 
 
Indústria recua em oito dos 15 locais pesquisados pelo IBGE em julho
 
 
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE
 
 
México investiga caso de deputadas forçadas a renunciar
 
 
A série de ataques de 11 de Setembro completa 17 anos

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212