Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


20 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Governo de Goiás e Enel Brasil selam privatização da Celg - Jornal Brasil em Folhas
Governo de Goiás e Enel Brasil selam privatização da Celg


O Governo de Goiás e a Enel Brasil S.A selaram nesta terça-feira, dia 14, a privatização da Celg. Em solenidade no Palácio Pedro Ludovico Teixeira, em Goiânia, o governador Marconi Perillo e diretores da Enel assinaram o contrato de privatização da companhia. O montante que coube a Goiás já foi depositado na conta do governo estadual: R$ 1.104.303.365,93. A Eletrobras, que detinha 51% das ações da Celg, recebeu R$1.065.266.144,40. Segundo a diretoria da Enel, a Eletrobras receberá, ainda, cerca de R$ 82 milhões da oferta dos empregados.

Diretor global de Infraestrutura e Rede da Enel, Livio Gallo afirmou que o objetivo da empresa é transformar a Celg na distribuidora de energia número um do País. Além do valor pago pelo arremate da companhia, a Enel pagará R$ 4 bilhões em dívidas da Celg e investirá R$ 800 milhões de dólares na melhoria do sistema de energia. A prioridade, conforme destacou Livio Gallo, é investir na modernização e na expansão do sistema de distribuição.

Ele pontuou que a Enel está investindo na modernização da rede de distribuição no Brasil cerca de 3 contratocelg4bilhões de euros pelos próximos três anos. “Estamos aplicando no Brasil as mais avançadas técnicas de automação de rede de distribuição para melhorar a qualidade dos serviços prestados. Em Goiás, identificamos uma grande oportunidade de crescimento e patamares acima da média nacional”, disse.

O sistema será modernizado com tecnologias de distribuição, tais como o de automação de rede, de medidores eletrônicos e inovação tecnológica, integrando o conceito de redes inteligentes. “Vamos aumentar os investimentos em Goiás para melhorar a qualidade, modernizar e digitalizar a rede para acelerar a captação de novos clientes para o Estado. Nosso projeto é baseado na sustentabilidade do negócio e na satisfação dos nossos clientes a longo prazo. Além de modernizar e expandir a rede de distribuição, vamos ampliar na região a oferta de soluções de valor agregado, como sistema de geração distribuída com energia fotovoltaica. Os consumidores serão beneficiados pelas melhorias a serem implementadas na rede de distribuição. Nosso objetivo é fazer da Celg a distribuidora número um do Brasil”, disse o diretor global.

Diretor da Enel para o Brasil, Carlo Zorzoli disse que a empresa não vai se ater somente aos investimentos previstos, mas trabalhará também para estabelecer novas conexões, e atender a demanda reprimida. “Goiás é um Estado com uma economia vibrante, e precisa de mais energia. O primeiro passo é investir em tecnologia que permita melhorar a qualidade do serviço para reduzir o prazo de falta de energia, quando falta energia”, explicou.

O governador Marconi Perillo completou que a Enel também atuará para universalizar a energia no campo, que hoje é 90% universalizada. Ele acrescentou, ainda, que o Governo de Goiás prepara o cronograma de investimentos que realizará com os recursos da privatização da Celg.

Enel
A Enel opera em geração e distribuição de energia por meio da Enel Brasil e suas subsidiárias. No setor de distribuição, opera no Rio de Janeiro (Enel Distribuição Rio), e no Ceará (Enel Distribuição Ceará). Ambas atendem a cerca de sete milhões de clientes. “Hoje podemos dizer que além de cariocas e cearenses somos goianos com muito orgulho. Temos certeza de que a Enel trará muita alegria para a sociedade goiana e para os acionistas”, afirmou Livio Gallo. Em Goiás, a Enel também administra Cachoeira Dourada, hidrelétrica de 658 MW.

 

Últimas Notícias

Brasil perdeu 7,2 milhões de linhas de celular no ano passado
Petrobras reduz em 3% GLP empresarial nas refinarias
Ministro do STJ nega pedido de prisão domiciliar a João de Deus
Escassez de chuvas leva governo a acionar termelétricas mais caras
Picciani, Paulo Melo e Albertassi serão julgados por Bretas
Suspensa permissão para deputada receber denúncias contra professores
MPT não descarta pedir bloqueio dos bens do Flamengo
Número de mortos identificados em Brumadinho chega a 151

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212