Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


22 de Sep de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Prefeitura de Aparecida e UFG fazem parceria para mapear os haitianos residentes no município - Jornal Brasil em Folhas
Prefeitura de Aparecida e UFG fazem parceria para mapear os haitianos residentes no município


A Prefeitura de Aparecida e a Universidade Federal de Goiás (UFG) criaram um grupo de trabalho para mapear a comunidade de imigrantes haitianos que escolheram o município para recomeçar uma nova vida, após o terremoto que desvastou o país caribenho em janeiro de 2010, matando mais de 150 mil pessoas.

O objetivo é levantar dados, acompanhar e buscar parcerias com secretarias e órgãos municipais para ajudar e prestar toda a assistência que esses imigrantes necessitam, como ser integrados à sociedade e a regularização da situação no país.

Participam do grupo de trabalho equipes das secretarias de Saúde, Desenvolvimento Econômico, Educação, Assistência Social e Trabalho e pesquisadores da UFG. As reuniões são organizadas e conduzidas pela Secretaria de Articulação Política.

Em janeiro, o prefeito Gustavo Mendanha recebeu a visita da Drª e professora da UFG Marta Rovery e dos alunos do mestrado em Saúde Coletiva Giovanna Rangel e Luciano de Moura Carvalho, pesquisadores que estão a frente da parceira com a prefeitura. Gustavo Mendanha foi missionário na África e sabe como é a realidade dos que vivem em regiões de vulnerabilidade, portanto, demonstrou total apoio ao estudo.

O secretário de Articulação Política Ricardo Teixeira colocou sua pasta a disposição do grupo de trabalho e enfatizou que a prefeitura deseja ter boas notícias da parceria. “O nosso desejo e o do prefeito Gustavo Mendanha é ver resultados positivos desta parceira entre a UFG e Aparecida. É importante o município estar atento e no controle da situação para que seja feito um trabalho preventivo e não de emergência”, pontuou o secretário, que espera que o projeto seja um espelho para outras cidades.

Dados iniciais da comunidade haitiana residente em Aparecida

Em janeiro de 2017, o grupo iniciou o processo de reconhecimento das áreas habitadas pelos haitianos e concluiu que os setores onde concentram o maior número de imigrantes são o Setor Expansul com cerca de 350 haitianos e o Setor Central com cerca 210. A equipe também realizou visitas técnicas em escolas e em uma unidade básica de saúde no Expansul. Em Goiânia, foram localizados grupos no Jardim Guanabara, Setor Leste Universitário e em bairros próximos a GO-040.

Segundo o levantamento inicial, a maior dificuldade encontrada pelos profissionais que atendem os imigrantes é entender a língua, que pode variar entre o francês e o créole. E as principais demandas dos haitianos é falta vagas em escolas e Cmeis, e a ausência de uma casa de acolhimento para receber os imigrantes que procuram a região do Setor Expansul para se estabilizarem no município, informou os representantes dos imigrantes.

Outras necessidades apontadas pelos haitianos são voltadas para questões de saúde, habitação e emprego. Os imigrantes solicitam a criação de políticas públicas que atendam a essas demandas para diminuir a vulnerabilidade das famílias haitianas nessas áreas.

Os dados levantados pela equipe durante as visitas realizadas nos bairros foram apresentados ao grupo de trabalho no dia 17 de fevereiro durante a segunda reunião realizada com todos os envolvidos na ação. As informações iniciais serviram para mostrar quais são as prioridades que irão fomentar o mapeamento dessa população e contribuir com o atendimento efetivo das necessidades dos haitianos.

O Expansul, setor de Aparecida de Goiânia, é um principais refúgios dos haitianos que vieram para Goiás e se transformou com a chegada dos imigrantes. No bairro funciona o primeiro templo religioso dedicado aos novos moradores. No local, as bandeiras brasileiras e haitianas estão lado a lado, assim como a saudação aos fiéis escrita na fachada – “Aqui haitianos e brasileiros são recebidos de braços abertos” – que pode ser lida em Créole, o dialeto haitiano, e em Português. A igreja é o ponto de encontro dos haitanos, que se reúnem para celebrações e para aprender português em aulas ministradas gratuitamente por uma professora da UFG, que integra a instituição religiosa.

A frente da comunidade haitiana, como líder comunitário e religioso, Nodieu Dorval se tornou o intercâmbio entre todos os imigrantes. Por sua posição de líder, Dorval também participa do grupo de trabalho que está fazendo o mapeameato dos haitianos no município.

Próximas ações

A próxima reunião do grupo de trabalho será realizada no dia 3 de março, às 14h, na escola superior da Prefeitura de Aparecida. O objetivo é finalizar a preparação do mutirão que o grupo vai realizar no dia 4 abril no Setor Expansul, bairro que possui uma das maiores comunidades dos estrangeiros no município.

A ação social irá oferecer auxílio gratuito aos haitianos com atendimento móvel de saúde, medição de pressão, atividades artísticas, cursos, palestras sobre empregos, assistência social e apoio jurídico para atender os imigrantes.

Com a experiência adquirida a frente deste estudo, o grupo prevê um reflexo positivo na recepção de futuros imigrantes à cidade.

 

Últimas Notícias

Deputado Marlúcio promove caminhonetadas em várias regiões de Aparecida
Dia da Árvore: desmatamento vem caindo, mas ainda há desafios
Brincar com os quatro elementos da natureza ajuda a criança a se desenvolver melhor
Meninas que praticam esportes, cuidado com a alimentação!
Indústria paulista fecha 2,5 mil postos de trabalho em agosto
Aneel descarta revisão de bandeira tarifária em conta de luz
BNDES: empréstimos para Cuba e Venezuela não deveriam ter sido feitos
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE

MAIS NOTICIAS

 

Toffoli toma posse hoje na presidência do STF
 
 
Chanceler do Paraguai visita Brasil para negociar construção de pontes
 
 
Indústria recua em oito dos 15 locais pesquisados pelo IBGE em julho
 
 
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE
 
 
México investiga caso de deputadas forçadas a renunciar
 
 
A série de ataques de 11 de Setembro completa 17 anos

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212