Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


18 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Presidente da CNI defende no Senado terceirização - Jornal Brasil em Folhas
Presidente da CNI defende no Senado terceirização


O presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade, defendeu hoje (9) no Senado as propostas que tratam da regularização do trabalho terceirizado. Em encontro com o presidente da Casa, Eunício Oliveira (PMDB-CE), Andrade conversou sobre terceirização e outros projetos de interesse do setor produtivo.

“Vim conversar com Eunício sobre o ambiente de negócios da indústria brasileira e a expectativa que nós temos de melhoria desse ambiente através de algumas medidas que estão no Congresso e que são importantíssimas para que possamos crescer mais, voltar a investir e gerar empregos, inclusive atraindo investimentos externos”, explicou Andrade.

Entre as medidas discutidas estão as mudanças da legislação trabalhista, a questão tributária e a regularização do serviço terceirizado. Segundo o presidente da CNI, a proposta defendida pela indústria amplia a possibilidade de terceirização para qualquer tipo de trabalho e especialidade, independentemente de ser atividade-fim ou atividade-meio.

Andrade disse ainda que apresentou ao presidente do Senado um estudo que mostra que 57% da população pesquisada considera a regulamentação do serviço de terceirização importante para dar segurança jurídica e formalização do trabalho de milhões de pessoas hoje que são terceirizadas.

Garantias

Questionado sobre as garantias de proteção aos direitos do trabalhador, Andrade disse que ampliar a terceirização não pressupõe o não pagamento dos encargos trabalhistas e, que, portanto, não se trata de reduzir os custos das empresas. “Estamos tratando de uma terceirização especializada formal, legal, que contribua com todos os encargos trabalhistas, férias, FGTS [Fundo de Garantia do Tempo de Serviço], INSS [Instituto Nacional do Seguro Social]. Quer dizer, não existe redução de custos através da terceirização. Existe uma formalização da terceirização, para, através dela, aumentar a competitividade. Mas com empresas legalmente constituídas.”

Tramitam hoje no Congresso dois projetos de lei que visam regulamentar o trabalho terceirizado. O Projeto de Lei (PL) 4.302/98, que aguarda votação na Câmara, depois de já ter sido apreciado pelo Senado, e o Projeto de Lei Complementar (PLC) 30/2015, que ainda está em fase de debate nas comissões do Senado.

Eunício Oliveira afirmou que pode agilizar a votação dos projetos e propor alterações. “Se eles chegarem à Mesa, eu vou pautá-los, para que façamos uma compilação daquilo que o projeto anterior não contemplou. Principalmente do ponto de vista da segurança do trabalhador. Estou aberto para que a gente agilize e vote este projeto aqui.”

 

Últimas Notícias

Submarino argentino é encontrado um ano e um dia após desaparecimento
Parlamento cubano rejeita resolução da Eurocâmara sobre direitos human
Incêndio da Califórnia registra 74 mortos e mais de mil desaparecidos
Livro mistura suspense e fantasia em reflexão sobre violência no país
EBC e Fundação Getulio Vargas firmam acordo para revitalizar acervo
Trabalho de escoramento em viaduto paulistano prossegue neste sábado
Belo Horizonte tem previsão de mais chuva; temporais já mataram quatro
Prefeito de Mariana diz que não desistirá de ação no Reino Unido

MAIS NOTICIAS

 

Morre em Pelotas o criador da camisa canarinho, Aldyr Schlee
 
 
Brasil concentrou 40% dos feminicídios da América Latina em 2017
 
 
Jungmann e Toffoli anunciam sistema para unificar processos de presos
 
 
Pensamento liberal deve guiar a equipe econômica de Bolsonaro
 
 
Gold3-4 minutosfajn permanecerá à frente do BC até Senado aprovar Campos Neto
 
 
Senado argentino aprova orçamento de 2019 como prometeu ao FMI

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212