Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


13 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Vendas do comércio sobem 4,2% em janeiro no estado de São Paulo - Jornal Brasil em Folhas
Vendas do comércio sobem 4,2% em janeiro no estado de São Paulo


O comércio varejista do estado de São Paulo aumentou o faturamento em 4,2% em janeiro em comparação com o janeiro de 2016. O total atingiu R$ 48,4 bilhões, valor que supera em R$ 2 bilhões o registrado em igual período de 2016. No acumulado de 12 meses, houve crescimento de 0,8%.

O desempenho foi o quarto melhor da série histórica para janeiro desde 2008, segundo a Pesquisa Conjuntural do Comércio Varejista no Estado de São Paulo (PCCV), da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de São Paulo (Fecomercio), com base em informações da Secretaria da Fazenda. O maior volume financeiro obtido pelo varejo paulista ocorreu em 2014 (R$ 51,5 bilhões) e o segundo melhor desempenho deu-se em 2015 (R$ 48,7 bilhões).

Vendas devem crescer ao longo do ano

Diante do resultado, a Fecomercio-SP refez a sua projeção de vendas para este ano, alterando a taxa de crescimento de 2,5% para 2,8%.

Seis setores de um total de nove pesquisados apresentaram avanços: concessionárias de veículos (19,5%), farmácias e perfumarias (16%), autopeças e acessórios (15,4%), materiais de construção (9,1%), lojas de móveis e decoração (7%) e outras atividades (6,9%). Em contrapartida, foram registradas quedas nas vendas de eletrodomésticos, eletrônicos e lojas de departamentos (-9,2%), lojas de vestuário, tecidos e calçados (-5,2%) e supermercados (-0,8%).

Na capital paulista, as lojas do varejo ampliaram em 5,9% o faturamento, o que correspondente a R$ 15,1 bilhões. Este foi o segundo maior volume da série histórica desde 2008. No acumulado de 12 meses, foi constatado crescimento de 1,2%.

Tendência de alta

O assessor econômico da FecomercioSP, Guilherme Dietze, observou que o crescimento do faturamento no estado ocorre sobre um fraco desempenho ao longo de 2016. Ele destacou que a recuperação tem sido verificada principalmente no interior, em razão das atividades do agronegócio. “Esse comportamento favorável deve continuar porque a expectativa do IBGE é de um crescimento em torno de 20% para a safra agrícola.”

Outro dado que Dietze vê como positivo para o comércio é a entrada no mercado dos recursos das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).
“Embora a maior parte desse dinheiro deverá ser para pagar dívidas, a sua movimentação em um segundo momento vai aumentar o potencial de consumo. A recuperação é lenta, mas estamos saindo do fundo do poço.”

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212