Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


21 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Defesa de Dilma pedirá que novas testemunhas sejam ouvidas no TSE - Jornal Brasil em Folhas
Defesa de Dilma pedirá que novas testemunhas sejam ouvidas no TSE


A defesa da ex-presidenta Dilma Rousseff afirmou hoje (4) que entrará com petições para que sejam ouvidas outras testemunhas na ação que pede a cassação da chapa Dilma-Temer, vencedora da eleição presidencial de 2014, cujo julgamento foi adiado nesta terça-feira (4) após o plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) permitir que sejam ouvidas mais quatro testemunhas.

Na prática, ficou reaberta a fase de instrução no processo, estágio em que as defesas podem pedir ao relator do caso, ministro Herman Benjamin, que sejam tomadas novas providências para a produção de provas.

“Nós retomamos agora a instrução probatória com estas quatro testemunhas. Não existe instrução probatória pela metade, se reabre para quatro, vamos pedir certamente que sejam ouvidas outras”, disse o advogado Flávio Caetano, que defende Dilma Rousseff. “Já havíamos pedido e renovamos agora nessa nova instrução probatória.”

Nesta terça-feira, o plenário do TSE acatou a realização de apenas uma das 14 oitivas a mais que haviam sido solicitadas pela defesa de Dilma: a do ex-ministro da Fazenda Guido Mantega, que teria sido citado por delatores da empreiteira Odebrecht como intermediário no recebimento de recursos não declarados pela campanha de 2014.

Juízo acusatório

O advogado do presidente Michel Temer, Gustavo Guedes, considerou que a reabertura da fase de instrução do processo foi inesperada e inadequada. Para ele, a decisão “desrespeita a ordem cronológica do processo”.

Ele reclamou do fato de terem sido autorizadas as oitivas também de três testemunhas de acusação: do marqueteiro da campanha de Dilma em 2014, João Santana, de sua mulher, Mônica Moura, e de André Santana, funcionário dela. “É um juízo acusatório [...] onde se busca testemunhas para acusar, e jamais para esclarecer a verdade dos fatos.”

Guedes afirmou que o presidente Michel Temer deseja um desfecho “célere” do processo. Com o adiamento, é possível que o TSE retome o julgamento somente após serem retirados os sigilos dos 950 depoimentos prestados por 77 ex-diretores e ex-funcionários da Odebrecht à Operação Lava Jato, nos quais teriam detalhado o esquema de repasses ilegais para a campanha de 2014.

A retirada do segredo de Justiça sobre os depoimentos foi pedida no mês passado pela Procuradoria-Geral da República (PGR) ao ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), que já afirmou que decidirá sobre o assunto neste mês.

Questionado se isso poderia influenciar o julgamento da chapa Dilma-Temer, Guedes afirmou que “cuida somente deste processo no TSE”.

Após as novas oitivas, os ministros do TSE concederam também mais cinco dias de prazo para que as defesas apresentem novas alegações finais no processo. A medida pode fazer com que o julgamento da chapa Dilma-Temer seja retomado apenas no fim do mês ou em maio.

 

Últimas Notícias

Bolsonaro elogia Mandetta e Wagner Rosário, ministros anunciados hoje
Atos em Brasília marcam os 50 anos da Receita Federal
Temer pede que brasileiros reflitam sobre questão racial
Grafiteira faz mural de 500 m2 no Rio para homenagear mulheres negras
Dia da Consciência Negra é comemorado no Rio com homenagem a Zumbi
Estados poderão decidir se darão aulas a distância no ensino médio
Moro escolhe delegados da Lava Jato para PF e departamento do MJ
Estudante poderá escolher área a ser avaliada no segundo dia do Enem

MAIS NOTICIAS

 

Estimativa do mercado para inflação cai pela quarta vez seguida
 
 
Autoridades de Cuba anunciam retorno de médicos antes do fim do ano
 
 
Guatemala monitora atividades de vulcão que pode ter novas erupções
 
 
Ex-CEO da Nissan é preso no Japão suspeito de reduzir próprio lucro
 
 
Governador eleito do Rio promete nova concessão para o Maracanã
 
 
Relatório alerta que há 45 barragens sob ameaça de desabamento

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212