Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


12 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Delegado Waldir anuncia saída do PSDB para disputar prefeitura de Goiânia - Jornal Brasil em Folhas
Delegado Waldir anuncia saída do PSDB para disputar prefeitura de Goiânia


O deputado federal Delegado Waldir está de saída do PSDB. Em entrevista ao jornal A Redação, ele confirmou que acerta os últimos ajustes junto a Aécio Neves, presidente nacional da legenda, para anunciar sua decisão na quinta-feira (11/2). A mudança é motivada pela sua pretensão de concorrer à prefeitura de Goiânia. “Sou pré-candidato e não abro mão”, pontuou.
Deputado federal mais bem votado por Goiás em 2014, Waldir declarou que ser prefeito de Goiânia trata-se de um anseio pessoal, mas tem encontrado dificuldades nos bastidores do tucanato goiano. “Não estou aqui para negociar, eu quero ser prefeito. Só desisto se acontecer algo de anormal com relação ao desejo do eleitorado, se as pesquisas eleitorais mostrarem isso”, disse ao justificar sua saída do PSDB.
Waldir adiantou que vai apresentar um levantamento elencando os motivos de sua decisão. Um deles é a prévia que o partido pretende fazer entre os pré-candidatos. “Eu não posso participar de um jogo armado. Me pediram pra assinar uma folha, caso fosse derrotado, declarando apoio ao vencedor. O fato é que eles já têm um favorito. Querem me rifar”, argumentou.
Os nomes indicados para a prévia, que será no dia 21 de fevereiro, são o do deputado Giuseppe Vecci e do presidente da Câmara Municipal de Goiânia, o vereador Anselmo Pereira. Para Waldir, o primeiro leva vantagem porque, na última semana, o vice-governador José Eliton teria pedido apoio de deputados estaduais. “Se reunisse na casa dele era um direito, mas quando faz isso no Palácio, é uma ação governamental. Não estou dizendo que ele vai ganhar, mas é o candidato do Palácio”, acusou. José Eliton negou que promoveu tal reunião.

Futuro - O pré-candidato informou que tem sido “assediado por dezenas de partidos”, mas ainda não decidiu para onde irá. Alguns citados por ele durante a entrevista foram o PR, PSD e PMB. A decisão, segundo o deputado federal, será tomada sob a orientação do senador Aécio Neves em respeito ao bom relacionamento mútuo.
“Já que em Goiás não sou ouvido, converso com o diretório nacional. Tenho uma relação excelente com o presidente (do PSDB) Aécio. Mas ainda não decidi nada, devo resolver a situação nos próximos dias”, finalizou.

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212