Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


20 de Mar de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Israel redobra segurança em Jesusalém antes de Superpáscoa - Jornal Brasil em Folhas
Israel redobra segurança em Jesusalém antes de Superpáscoa


Além de 400 câmeras do circuito interno, balões de segurança com filmadoras sobrevoam a pequena área onde, segundo a Bíblia, Jesus Cristo deu seus últimos passos há quase 2.000 anos. Na Cidade Velha de Jerusalém, 3.500 policiais –quase o dobro do ano passado– patrulham ruas, mercados e casas dentro e fora das muralhas.
Enquanto procissões lotam a Via Dolorosa, as autoridades se empenham em assegurar uma Semana Santa pacífica aos cerca de 300 mil turistas que chegaram a Israel no mês da Páscoa.
Além da patrulha na Cidade Velha, onde ficam os principais pontos sagrados para cristãos, judeus e muçulmanos (a Igreja do Santo Sepulcro, o Muro das Lamentações e a Mesquita de al-Aqsa, por exemplo), oficiais ocupam os bairros árabes (Jerusalém Oriental), onde vivem cerca de 40% dos habitantes.
Em Wadi al-Joz, por exemplo, policiais armados estão em várias esquinas, sob olhares pouco amigáveis dos moradores, e em carros, afugentando jovens que perambulam para evitar aglomerações perto dos pontos turísticos.
Israel também fechou a fronteira com o Egito, passo inédito, por causa de alertas de atentados iminentes do Estado Islâmico contra israelenses na Península do Sinai. Como é praxe em feriados, os postos de fronteira entre Israel e os territórios palestinos (Cisjordânia e Faixa de Gaza) foram interditados.

SUPERPÁSCOA

A preocupação é elevada porque, nesta Páscoa, Jerusalém deve receber 15% a mais de visitantes.
Motivo: a Semana Santa cristã coincide com a Páscoa judaica (Pessach), que dura oito dias.
Fora isso, todas as vertentes cristãs, incluindo gregos-ortodoxos, celebram a Páscoa juntas (a próxima vez que isso ocorrerá será em 2025, pois os ortodoxos usam um calendário diferente).
Outra atração para peregrinos cristãos é a renovação da Edícula, a 14ª, última e mais importante estação da Via Dolorosa, que foi reaberta ao público no dia 23 de março.
A construção na Igreja do Santo Sepulcro é o local onde está o túmulo que teria sido, diz a tradição, de Jesus.
“Pela primeira vez em 200 anos, as três principais igrejas –ortodoxa, franciscana e armênia– renovam o túmulo sagrado”, disse o porta-voz do Patriarca Ortodoxo de Jerusalém, Issa Musleh, sobre a obra que consumiu dois anos e US$ 3 milhões.
O receio de atentados também é econômico. A peregrinação cristã traz 53% do turismo em Israel. Afugentar devotos é condenar a indústria turística. Em geral, o número de visitantes bate recordes, mas tudo pode mudar se atentados maiores ou conflitos armados sacodem o país.
“Em janeiro e fevereiro, vieram 22% de turistas a mais do que nos mesmos meses de 2016. Além dos mercados tradicionais, também entraram na estatística chineses e indianos”, diz Uri Sharon, especialista em história cristã do Ministério do Turismo.
Para a guia Miri Henis, 61, que vive em Israel há quatro décadas, a Terra Santa é mais segura do que sua cidade natal, o Rio. “Jerusalém é complicada em segurança. Muita gente acha que aqui corre sangue nas ruas. Mas Israel é mais segura do que a [rua] Barata Ribeiro, no Rio de Janeiro. Sou carioca, posso falar.”

 

Últimas Notícias

Sul e Sudeste se unem e formam consórcio para ações conjuntas
Copom inicia reunião nesta terça para definir taxa básica de juros
Mercado reduz projeção de crescimento da economia de 2,28% para 2,01%
Atividade econômica tem queda de 0,41% em janeiro, diz BC
Governo lança edital de estudos para concessão de 22 aeroportos
Governo do Rio anuncia rompimento da concessão do Maracanã
Feiras em São Paulo oferecem oportunidades de intercâmbio no exterior
Treze de 16 docentes relataram casos de agressão na escola de Suzano

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212