Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


20 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Juízes e policiais federais fazem ato no Rio em apoio à Operação Lava Jato - Jornal Brasil em Folhas
Juízes e policiais federais fazem ato no Rio em apoio à Operação Lava Jato


Juízes e policiais federais fizeram ato nesta sexta-feira (28), no prédio da Justiça Federal, contra a Lei do Abuso de Autoridade e as tentativas de enfraquecimento da Operação Lava Jato. Eles também criticaram a forma como está tramitando o projeto da reforma da Previdência Social, proposto pelo governo federal.

“A Lei de Abuso de Autoridade criminaliza as atuações do juiz, da Polícia Federal e do Ministério Público. Este momento é inadequado para a discussão desta lei. A Operação Lava Jato vem prendendo corruptos dos mais altos escalões da politica nacional. Este projeto é uma ameaça direcionada à Lava Jato”, disse o presidente da Associação dos Juízes Federais do Rio de Janeiro e Espírito Santo, Fabrício Fernandes de Castro.

A Polícia Federal (PF) foi representada pelo diretor-regional da Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal, delegado Luiz Carlos Cruz . “A Polícia Federal não vai se intimidar como nunca se intimidou. Nós vamos as últimas consequências. Em determinados momentos temos que agir com firmeza, mas isto não significa abuso de autoridade, apenas usamos a força necessária para aplicar a lei. Tem grupos de políticos querendo votar medidas para tentar intimidar a operação [Lava Jato].

Os participantes do ato também demonstraram contrariedade com as mudanças na reforma da Previdência Social. Segundo o grupo, mesmo que sejam necessárias as mudanças no sistema, não está havendo diálogo suficiente com a sociedade.

Funcionários da Justiça Federal também fizeram ato de protesto contra as reformas da Previdência Social e trabalhista, na calçada em frente ao prédio da Justiça Federal. Para o diretor do Sindicato da Justiça Federal no Rio de Janeiro, Marcelo Costa Neris, ambas reformas retiram direitos adquiridos dos trabalhadores.

“Estamos participando da greve geral, uma vez que essas reformas não foram negociadas com os trabalhadores. Negociaram com os empresários da indústria, do comércio, dos setores financeiro e agronegócio, mas em nenhum momento sentaram para dialogar com os trabalhadores. A reforma trabalhista atinge os servidores da iniciativa privada e públicos que poderão ser demitidos em massa, se um um órgão público for extinto”, disse Marcelo Neris.

 

Últimas Notícias

Brasil perdeu 7,2 milhões de linhas de celular no ano passado
Petrobras reduz em 3% GLP empresarial nas refinarias
Ministro do STJ nega pedido de prisão domiciliar a João de Deus
Escassez de chuvas leva governo a acionar termelétricas mais caras
Picciani, Paulo Melo e Albertassi serão julgados por Bretas
Suspensa permissão para deputada receber denúncias contra professores
MPT não descarta pedir bloqueio dos bens do Flamengo
Número de mortos identificados em Brumadinho chega a 151

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212